Cerca de 300 mil alunos retornam de forma 100% presencial no Rio nesta segunda

Retornam hoje as crianças da pré-escola, entre 4 e 5 anos, e os alunos do 1°, 2°, 5º e 9° anos do ensino fundamental

Mylena Guedesda CNN*

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Nesta segunda-feira (18), cerca de 300 mil alunos retornam 100% de forma presencial nas escolas municipais da cidade do Rio de Janeiro. A partir de agora, não será mais necessário o rodízio ou distanciamento social entre os estudantes, de acordo com o cronograma de abertura plena feito pela Secretaria Municipal de Educação (SME), que contempla das creches até o programa de Educação de Jovens e Adultos.

A volta será realizada em duas etapas, com objetivo de garantir um equilíbrio numérico. Primeiro, será a vez das crianças da pré-escola, entre 4 e 5 anos, além do 1°, 2°, 5º e 9° anos do ensino fundamental. Esse grupo representa quase a metade dos 644 mil alunos da rede municipal.

Já na segunda-feira que vem (25), outros 344 mil estudantes também retomam presencialmente às unidades. Nesse grupo, estão incluídos alunos do 3°,4°,6°, 7° e 8° anos do ensino fundamental, além das creches e o programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Questionada pela CNN sobre o motivo da escolha das turmas que retornariam primeiro, a secretaria de educação explicou que a priorizou os anos de transição entre os segmentos, ou seja, 5° e 9° ano, e os de alfabetização, que são os 1° e 2° anos.

O uso de máscaras permanece obrigatório, exceto para crianças de até três anos de idade. Enquanto isso, a distância entre as cadeiras não é mais necessária. Todas as escolas, no entanto, devem oferecer a opção do ensino híbrido para quem optar por não estudar presencialmente.

O secretário municipal de saúde defendeu a volta completa das aulas presenciais no município. Segundo ele, não há mais razões para manter as crianças em casa.

“A gente tem um cenário muito favorável. Não é possível ver mais crianças fora da escola. Quando foi necessário o município interrompeu. Fundamental que todas as crianças voltem a estudar. O dano é muito alto para uma criança fora da escola”, avaliou Soranz, durante a divulgação do Boletim Epidemiológico na última sexta-feira (15).

Na capital fluminense, as escolas ficaram por pelo menos 11 meses sem aulas presenciais. A retomada das atividades nos colégios ocorreu, gradativamente, no fim de fevereiro. Ao todo, cerca de 39 mil professores e mais de 14 mil trabalhadores, como merendeiras e secretárias, atuam na rede de ensino do município.

Para o secretário municipal de educação, Renan Ferreirinha, a retomada foi viabilizada pela vacinação contra a Covid-19. Segundo ele, todos os professores estão imunizados com as duas doses.

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) contesta a volta 100% presencial. Em nota divulgada há duas semanas, no dia 8, o Sindicato ressaltou que “mantém a posição contrária ao retorno integral das aulas presencial e de defesa do funcionamento de forma híbrida, com rodízio entre alunos.

Cronograma de retorno

Dia 18: 300 mil alunos

Pré-escola (4 e 5 anos);

1º, 2º, 5º e 9º anos do ensino fundamental.

Dia 25: 344 mil alunos

3º, 4º, 6º, 7º e 8º anos do ensino fundamental;

Creches;

Alunos do EJA – programa de Educação de Jovens e Adultos.

(*Com informações de Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro; sob supervisão de Isabelle Resende)

 

Mais Recentes da CNN