Quem são os cotados para o MEC após saída de Weintraub

Abraham Weintraub foi exonerado neste sábado (20) da pasta

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Após a saída de Abraham Weintraub, que já se encontra nos Estados Unidos, do Ministério da Educação (MEC), o governo estuda possíveis substitutos. Com a pendência do nome definitivo, Antonio Paulo Vogel assumiu interinamente a pasta.

Leia também:

Weintraub fica nos EUA até assumir Banco Mundial, mas se recusa a dizer onde
Wassef diz que deixará defesa de Flávio para não prejudicar Bolsonaro

Além de Vogel, entre os nomes cotados para assumir efetivamente o MEC estão o do educador Antônio Freitas, do atual secretário de Educação do Paraná, Renato Feder; da diretora de Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Cláudia Costin e do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, que foi o primeiro nome que surgiu – e que seria do agrado da ala ideologica do governo.

De acordo com o analista de política Igor Gadelha, o presidente Jair Bolsonaro deve se reunir nesta terça-feira (23) com Renato Feder, nome que é bastante defendido pela ala militar do governo, entretanto, é alvo de críticas por parte de deputados federais do Paraná.

Exoneração

A exoneração de Abraham Weintraub foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União no sábado (20), e cita que a saída dele foi “a pedido”.

Em entrevista à CNN, o jurista Lênio Streck disse que há a possibilidade do ex-ministro ter usado o cargo para ter facilitada a entrada nos Estados Unidos e, se for esse o caso, Weintraub corre o risco de ser deportado.

Na sexta-feira (19), ele disse ao colunista Igor Gadelha que a viagem aos EUA era motivada por ameaças de morte que estaria recebendo. “A prioridade total é que eu saia do Brasil o quanto antes. Agora é evitar que me prendam, cadeião e me matem”, disse.

(Edição: Sinara Peixoto)

 

Mais Recentes da CNN