Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Enchentes no RS: mais de 10 mil crianças e adolescentes estão em abrigos

    Mais de 9 mil famílias estão em alojamentos devido às fortes chuvas que atingem o estado, aponta censo do governo

    Guilherme Gamada CNN São Paulo

    O governo do Rio Grande do Sul divulgou os dados parciais do censo das vítimas das enchentes que atingem o estado. Até a manhã desta quinta-feira (16), 60% dos alojamentos tiveram questionários aplicados. Os dados revelam que mais de 10 mil crianças e adolescentes estão desabrigadas — cerca de 25% do total de pessoas ouvidas.

    Desabrigados pelas enchentes

    • 9.308 famílias
    • Crianças e adolescentes (entre 0 e 17 anos: 10.521
    • Pessoas idosas: 5.989
    •  Pessoas com deficiência: 1.449

    Os dados também mostram que 41,3% dos alojamentos estão abrigando gestantes ou puérperas, 3,9% possuem população quilombola ou indígena e 40,1% têm migrantes.

    A coleta dos dados foi feita pelas equipes do estado desde a última sexta-feira (10/5) e, até o momento, em 64 municípios. Os dados são resultado da aplicação de um formulário, preenchido pelos responsáveis de cada local.

    Canoas concentra desabrigados

    A cidade de Canoas (RS) tem 18.186 pessoas em abrigos, devido às enchentes que atingem o Rio Grande do Sul — isso corresponde a quase 24% de todas as mais de 77 mil pessoas em abrigos em todo o estado, de acordo com dados da Secretaria de Desenvolvimento Social do Rio Grande do Sul com base na Defesa Civil, na tarde desta quinta-feira (16). O município concentra o maior número de desabrigados entre as 94 cidades.

    Mais de 60% dos desabrigados estão concentrados em três municípios: Canoas, Porto Alegre e São Leopoldo. A capital gaúcha ocupa o segundo lugar nesta lista, com 14.983 pessoas fora de suas casas, o equivalente a 19,41% do total de desabrigados. Na sequência, estão São Leopoldo (18%), Guaíba (5,70%) e Novo Hamburgo (4,35%).