Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Força-tarefa contra agressores de crianças e adolescentes prendeu 53 pessoas nesta quarta-feira

    Essa foi a segunda fase da Operação Acalento; a primeira foi realizada no ano passado, após a morte do menino Henry Borel, de 4 anos

    Viatura da Polícia Civil
    Viatura da Polícia Civil ESTADÃO CONTEÚDO

    Basília Rodriguesda CNN

    em Brasília

    A operação Acalento prendeu nesta quarta-feira (13) 53 pessoas acusadas de crimes contra crianças e adolescentes, como agressões físicas e sexuais. Policiais Civis do Distrito Federal e de 25 estados cumpriram mandados de prisão, busca e apreensão.

    A ação teve início no dia 13 de junho e terminou nesta quarta. De acordo com o Ministério da Justiça, durante todo período, 1.224 pessoas foram presas acusadas de cometer violência contra menores de idade.

    Em um mês de atuação, 14 mil vítimas foram atendidas, de acordo com o governo federal.

    “Os estados têm feito um grande trabalho de busca desses criminosos que atuaram na surdina dentro de seus lares. Esse caráter pedagógico da atuação de toda a sociedade no combate a criminalidade contra esse tipo de vulnerável, que são nossas crianças, é muito importante”, afirma Braulio de Melo, secretário-adjunto da Secretaria de Operações Integradas.

    Essa foi a segunda fase da Operação Acalento. A primeira foi realizada no ano passado, após a morte do menino Henry Borel, de 4 anos. A criança sofria agressões do padrasto, o ex-vereador pelo Rio de Janeiro, Doutor Jairinho.