Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja medidas do governo após fuga de presídio de segurança máxima no RN

    Órgãos de segurança acionados e nomes de fugitivos incluídos na Interpol estão entre elas

    Marcos Guedesda CNN São Paulo

    A fuga inédita dos presidiários Deibson Cabral Nascimento (33) e Rogério da Silva Mendonça (35) do presídio de segurança máxima, em Mossoró (RN), na manhã desta quarta-feira (14), mobiliza ao menos 100 agentes federais, segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

    Em comunicado emitido na noite desta quarta-feira (14), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, também destacou a ida do secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, para a “apuração presencial dos fatos e a tomada das ações cabíveis no âmbito administrativo”, segundo a nota.

    Lewandowski também informou que as Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que reúnem agentes federais e estaduais, trabalham para localizar e prender os foragidos.

    Segundo o comunicado, os nomes dos fugitivos também foram incluídos no Sistema Difusão Laranja, da Interpol, que tem por objetivo alertar autoridades de outros países sobre os riscos iminentes à segurança pública e no Sistema de Proteção de Fronteiras, o que indica que as polícias de outros países possam procurar pelos criminosos.

    Dois integrantes do Comando Vermelho fugiram de uma prisão de segurança máxima no Rio Grande do Norte / Divulgação/Secretaria Nacional de Políticas Penais

    O ministério também destacou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi alertada para realizar o monitoramento das rodovias sob sua jurisdição e qie fosse realizada “uma imediata e abrangente revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais”, finalizou o comunicado.

    Veja íntegra da nota das medidas de Ricardo Lewandowski

    1. Determinou a ida do secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, a Mossoró, acompanhado de uma equipe de seis servidores, para a apuração presencial dos fatos e a tomada das ações cabíveis no âmbito administrativo.

    2. Acionou a Direção-Geral da Polícia Federal para abertura de investigações e o deslocamento de uma equipe de peritos ao local, com objetivo de apurar responsabilidades e de atuar na recaptura dos dois fugitivos, ação que já conta com o engajamento de mais de 100 agentes federais.

    3. Ordenou a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que congregam as polícias federais e estaduais nas ações de repressão da criminalidade organizada, para colaborarem com os esforços de localização e prisão dos foragidos.

    4. Instruiu a Polícia Federal (PF) para que efetuasse o registro dos nomes dos fugitivos no Sistema de Difusão Laranja da Interpol, bem como a sua inclusão no Sistema de Proteção de Fronteiras, para que sejam procurados pela comunidade policial internacional;

    5. Mobilizou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para que realize o monitoramento das rodovias sob sua jurisdição e dê suporte à recaptura dos presos.

    6. Mandou que fosse realizada uma imediata e abrangente revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais.