Maior luxo que podemos ter hoje é se desconectar, diz Ronaldo Lemos

Especialista em temas como tecnologia, mídia e propriedade intelectual falou sobre a queda do Facebook nesta semana

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O CNN Nosso mundo desta sexta-feira (8) debateu que se sabe sobre o blackout global que afetou WhastApp, Instagram e Facebook nesta semana e como ele escancarou o poder das redes sociais na nossa sociedade. Para isso, o programa recebeu Ronaldo Lemos, advogado e pesquisador especialista em temas como tecnologia, mídia e propriedade intelectual.

O problema expõe, mais uma vez, a dependência mundial das Redes de Mark Zuckerberg. O dono do Facebook divulgou, em julho, que mais de 2,7 bilhões de pessoas usam alguma das redes sociais da empresa diariamente, em todo o mundo.

O pesquisador comparou as redes sociais e os aplicativos de mensagem com a eletricidade. Elementos centrais em nossas vidas, mas um que nós só notamos quando ele desaparece.

O maior luxo que a pessoa pode ter no mundo de hoje é poder se desconectar

Ronaldo Lemos, especialista em tecnologia

No Brasil, 70% dos pequenos negócios usam serviços de mensageria, como o WhatsApp, o Facebook e o Instagram para vender, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Sebrae.

Segundo a empresa, o apagão da última segunda foi causado por alterações de configuração incorretas em seus roteadores.

 

Ronaldo Lemos é diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITSrio.org) e professor da cadeira de Direito da Internet da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Foi professor na Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, onde fundou, em 2003, o Centro de Tecnologia e Sociedade, do qual foi diretor até 2013. Em julho de 2013 tornou-se pesquisador do MIT – se tornando referência internacional em inovação e revolução 4.0.

Ele foi entrevistado por Lia Bock, Thaís Herédia e Rita Wu, e quem comandou a atração foi Luciana Barreto. O CNN Nosso Mundo é exibido às sextas-feiras, a partir das 22h30.

A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir à CNN. O programa também pode ser assistido ao vivo no site da CNN Brasil.

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN