Marinha vai abrir inquérito para investigar desabamento de rocha em MG

Bloco de pedra desabou no município de Capitólio, atingiu lanchas e matou ao menos sete pessoas, de acordo com os bombeiros

Julliana LopesLéo Lopesda CNN

em Brasília e em São Paulo

Ouvir notícia

A Marinha informou neste sábado (8) que vai abrir um inquérito para investigar as causas e circunstâncias do desabamento de rocha na cidade de Capitólio, em Minas Gerais, que deixou ao menos sete pessoas mortas e 32 feridos. Ainda há cerca de três desaparecidos.

“A Marinha do Brasil informa que tomou conhecimento de um acidente, no fim da manhã de hoje, após deslizamento de rochedo atingir embarcações que navegavam a região dos cânions, em Capitólio-MG“, afirmou a assessoria da Marinha em nota.

“O inquérito aberto para apurar as circunstâncias do acidente/fato ocorrido analisará os aspectos sobre a segurança da navegação, a habilitação dos condutores envolvidos, o ordenamento aquaviário do local e a observância das normas e legislações emanadas pela Autoridade Marítima”, complementa a nota.

O comunicado complementa que a Delegacia Fluvial de Furnas deslocou imediatamente equipes de Busca e Salvamento para o local para prestar o apoio necessário às tripulações envolvidas no acidente, no transporte de feridos para a Santa Casa de Capitólio e no auxílio de outros órgãos que atuam no local.

A corporação informa ainda que também está mantendo uma equipe com dez militares na Marina Clube Náutico, em São João Batista do Glória, onde a operação está sendo coordenada em conjunto com representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e Instituto Médico Legal.

“A Marinha se solidariza com os familiares, parentes e amigos das vítimas, e ressalta que continuará no local, prestando apoio aos órgãos envolvidos. Para isso, determinou o deslocamento imediato de pessoal de apoio e de um Helicóptero para a região de Capitólio”, diz a corporação, que acrescenta que a área do lago está interditada

Um vídeo que circula nas redes sociais, cuja veracidade foi confirmada pelos bombeiros, mostra um grande bloco de pedras desabar na água, onde é possível ver três lanchas, das quais duas estavam próximas do desabamento.

À CNN, o Tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de MG, afirmou que havia por volta de 70 pessoas fazendo turismo na região.

Mais Recentes da CNN