Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Miliciano é morto em operação que buscava assassinos da PM no RJ

    Outro suspeito foi preso nesta quinta-feira (30) em Cosmos, na zona oeste do Rio de Janeiro

    PM Vaneza Lobão, morta em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro
    PM Vaneza Lobão, morta em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro Reprodução/redes sociais

    Rafaela Cascardoda CNN

    Rio de Janeiro

    Um suspeito morreu e outro foi preso durante uma operação da Polícia Militar que procurava autores do assassinato da cabo Vaneza Lobão, de 31 anos. A policial monitorava milicianos no Rio de Janeiro.

    Segundo a PM, na ação de hoje, os agentes foram atacados a tiros por dois homens que estavam dentro de um carro, em Cosmos, na zona oeste do Rio. Houve confronto e os suspeitos bateram com o carro. Um suspeito não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O outro foi preso e encaminhado à delegacia da região.

    Com a dupla os agentes apreenderam uma pistola, dois carregadores, munições, dois celulares e um rádio de comunicação.

    As investigações apontam que o homem morto seria braço direito do miliciano “Pipito”, que ocupa a vice-chefia da milícia comandada pelo criminoso Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho.

    Nesta quarta-feira (29), outro suspeito de envolvimento na morte da cabo foi preso no mesmo bairro. Conhecido como “Gordinho” também é suspeito de integrar a milícia de Zinho. Com ele, foram apreendidos uma pistola e quatro carregadores.

    Vaneza foi morta a tiros em frente à sua casa na noite da última sexta-feira (24), em Santa Cruz, Zona Oeste. Ela foi atingida quando estava no carro. Os criminosos armados e encapuçados fugiram.

    Zinho é o miliciano mais procurado do Rio atualmente. Ele teria sido o responsável pelos ataques que terminaram com 35 ônibus incendiados, além de um trem e estações de BRT, no mês passado. A ordem pelos ataques teria ocorrido após a morte do sobrinho dele, Matheus Rezende, o “Faustão”, em uma ação policial.