MPRJ anuncia novos integrantes da força-tarefa do caso Marielle

Promotor Bruno Gangoni assume definitivamente a coordenação da investigação

A coordenação da investigação estará a cargo de Bruno Gangoni, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado para o caso Marielle Franco e Anderson Gomes (GAECO/FTMA)
A coordenação da investigação estará a cargo de Bruno Gangoni, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado para o caso Marielle Franco e Anderson Gomes (GAECO/FTMA) Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

*Elis Barreto, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) anunciou nesta segunda-feira (26) oito novos integrantes da força-tarefa que investiga o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista, Anderson Gomes. A promotora e coordenadora da investigação, Simone Sibilio e sua assistente, Letícia Emile, pediram para deixar o caso no início deste mês de julho, por receio e insatisfação com “interferências externas”.

A coordenação da investigação estará a cargo de Bruno Gangoni, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado para o caso Marielle Franco e Anderson Gomes (GAECO/FTMA) e que, na última semana, havia sido designado temporariamente para assumir a Força-Tarefa. A irmã de Marielle, Anielle Franco, já havia avaliado com otimismo o nome de Gangoni.

“Ele já fazia parte da investigação, já acompanhava, estivemos com ele em reuniões. Ficamos com mais confiança por saber que é alguém que já estava acompanhando desde o início, acredito que ele tenha assumido até por isso. Vamos acompanhar as próximas semanas, ver se ele fica de vez ou se será apenas temporariamente mesmo”, declarou à CNN.

Os demais integrantes do GAECO/FTMA são os promotores de Justiça Roberta Laplace, Fabiano Cossermelli, Diogo Erthal, Juliana Pompeu, Michel Queiroz Zoucas, Marcelo Winter e Carlos Eugênio Laureano, na condição de assistentes. O MPRJ destacou que, “desde o início as investigações do caso Marielle e Anderson estavam sob a responsabilidade do GAECO/MPRJ que, na nova formatação, dará a devida continuidade aos trabalhos”.

A vereadora Marielle Franco foi morta na noite do dia 14 de março de 2018, o policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Elcio Queiroz foram identificados como executores dos assassinatos, e estão presos desde 2019.

*Sob supervisão de Camille Couto

Mais Recentes da CNN