“Não dá para ter Réveillon com insegurança”, diz prefeito de Salvador

À CNN, Bruno Reis (DEM) explica que capital baiana cancelou “Festival Virada Salvador” em razão do cenário de incertezas causado pela variante Ômicron da Covid-19

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na manhã desta segunda-feira (29), a prefeitura de Salvador anunciou que a capital baiana não realizará neste ano o “Festival Virada Salvador”, evento que seria promovido para a festa de Réveillon.

Em entrevista à CNN, o prefeito Bruno Reis (DEM) disse que o cenário de insegurança é o principal motivo para o cancelamento das festividades de ano novo.

“Diante desse cenário de incertezas, de indefinições, principalmente pelo que estamos vendo na Europa, do aumento de novos casos, e principalmente agora, com a chegada de uma nova variante. Diante desse cenário de insegurança, não há como realizar um evento desta proporção. A gente entende que não é hora de correr risco nesse momento”, explicou.

Questionado sobre a situação do Carnaval, o prefeito disse que a decisão apenas será tomada mais para frente.

“Estamos tentando levar ao máximo essa decisão dentro de um cenário que tenha uma segurança maior. Nesse momento não dá para decidir. Nossa expectativa era poder decidir até o início de dezembro, mas diante desses fatos que estamos acompanhando, não temos respostas. Foi feito todo um esforço até aqui, mas pode ser que ainda não seja o momento de correr riscos, veremos os efeitos das três doses de vacinas. A decisão será postergada e ainda não tem data limite.”

Reis disse que a situação não é de desespero, mas que novas medidas restritivas podem ser tomadas caso o número de casos de Covid-19 volte a aumentar.

“A situação não é desesperadora. Hoje ainda é obrigatório aqui o uso de máscaras, temos medidas para entrar em espaços públicos e privados, temos o cumprimento dos protocolos. Vamos aguardar as resposta da ciência em relação a essa variante. Não hesitarei em tomar as medidas caso elas sejam necessárias. Se houver risco de terceira onda tomaremos novamente medidas.”

O prefeito também alertou a população para completar o ciclo vacinal contra o coronavírus.

“Temos 252 mil pessoas que não voltaram para tomar a segunda dose. Temos universo de 142 mil pessoas que já poderiam tomar a terceira dose. A gente faz um apelo para que essas pessoas voltem. Para preservarmos conquistas que alcançamos até aqui é importante a população ter essa consciência.”

Mais Recentes da CNN