Governo do Ceará proíbe tradicional Réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema

Festas precisarão seguir decretos estaduais anteriores, que incluem exigência de passaporte de vacinação em locais fechados

Decisão sobre Carnaval ocorrerá apenas no futuro, segundo governador do Ceará
Decisão sobre Carnaval ocorrerá apenas no futuro, segundo governador do Ceará Jade Queiroz/Ministério do Turismo

Lorrâne Mendonça, especial para AE, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Por mais um ano, os cearenses não poderão aproveitar a tradicional “Festa da Virada”, no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, por causa da pandemia de Covid-19. A decisão foi confirmada e anunciada pelo Governador do Ceará, Camilo Santana, nesta sexta-feira (26). A proibição se estende a qualquer grande evento de Réveillon em todo o estado.

Com isso, as festas seguem o planejamento já disposto nos decretos estaduais anteriores que, a partir do dia 16 de dezembro, permitem 2,5 mil pessoas em ambientes fechados e 5 mil em ambientes abertos, com controle de acesso e exigência do passaporte de vacinação.

 

 

“Tomamos essa iniciativa por absoluta prudência, responsabilidade e respeito, de forma prioritária, à vida dos nossos irmãos cearenses. Não descansarei enquanto não vacinarmos toda a população cearense”, disse o governador durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

Outra decisão é que os estabelecimentos que ainda mantêm restrições de capacidade – como as academias, os cinemas e teatros – poderão ampliar a capacidade em sua totalidade, desde que passem a exigir o passaporte de vacinação. A mudança fica a critério do empreendimento.

Sobre o Carnaval, o governador tem a mesma opinião e afirmou que devem seguir a mesma linha de pensamento. Entretanto, essa questão será discutida somente no futuro.

Mais Recentes da CNN