No intervalo de uma semana, média móvel de casos de Covid-19 no AM sobe 85,3%

Estado tem explosão nos números da doença e sistema de saúde fica sobrecarregado

Mulher com Covid-19 chega para atendimento em pronto socorro no Amazonas
Mulher com Covid-19 chega para atendimento em pronto socorro no Amazonas Foto: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Amazonas registrou em 12 de janeiro a média móvel de 1.887 casos confirmados de coronavírus. O recorde é 85,3% maior do que o registrado em 5 de janeiro, uma semana atrás, de 1.018. O estado sofre com a lotação no sistema de saúde e enfrenta uma crise pela falta de oxigênio no tratamento dos pacientes.

Até então, a maior média móvel registrada pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas tinha sido em 29 de maio de 2020, com 1.693. Com o aumento de casos, a média móvel em 12 de janeiro deste ano é 11,45% maior em comparação com este número.

 

A capital Manaus também registrou aumento na média móvel de infecções pela doença. Em 12 de janeiro, foi registrada a média de 950,5 casos – maior número desde o início da pandemia.

Em relação à média móvel de mortes por Covid-19, os números aumentaram, mas ainda não superaram o pico da pandemia. Em 11 de janeiro deste ano, a média móvel de mortes registrada no Amazonas foi de 46,88 – maior número desde 22 de maio de 2020, quando a média era de 49. A maior média registrada foi de 78, em 4 de maio do ano passado.

Embora a Vigilância em Saúde ainda não tenha atualizado os dados da média móvel em 14 de janeiro, é provável que os números continuem a crescer. De acordo com o boletim epidemiológico da Fundação Vigilância em Saúde do Amazonas divulgado ontem (14), o estado registrou recorde de novos casos e hospitalizações por Covid-19 desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas, o estado contabilizou 3.816 novos casos confirmados de Covid-19. Apenas em Manaus, foram 2.516 novas infecções. Os números são recordes para o Amazonas e a capital desde o início da pandemia.

Até esta quinta-feira (14), o Amazonas registrou 223.360 casos confirmados da doença, além de 5.930 mortes. Já na capital, são 93.977 casos e 3.892 mortes.

Em apenas um dia, o Amazonas contabilizou 258 novas internações de pacientes com coronavírus. Nos primeiros 14 dias deste ano, o Amazonas registrou 2.768 internações por Covid-19. O número é puxado pela capital Manaus, que registrou 254 novas internações – maior já registrada para o município desde o início da pandemia.

Na capital, a situação crítica é exposta pelo aumento de enterros. Apenas nos 14 dias de janeiro, foram registrados 1.672 – 84,75% mais do que os 905 registrados no mês inteiro em 2019.

 

Em relação aos enterros de pacientes que morreram pela Covid-19, Manaus registrou 695 neste mês. O número é recorde mensal – ou seja, maior número já contabilizado em um mês – desde o início da pandemia, mesmo que o mês de janeiro de 2021 ainda não tenha acabado.

Em 2020, Manaus realizou o enterro de 1285 vítimas confirmadas de Covid-19. Apenas nos 14 dias de janeiro de 2021, os enterros realizados superam a metade do contabilizado em um ano inteiro.

Mais Recentes da CNN