O que se sabe até agora sobre morte da cantora Marília Mendonça

Aeronave com cantora sertaneja e mais quatro pessoas caiu em Minas Gerais na tarde desta sexta-feira (5); todos morreram

João de MariDouglas Portoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A cantora Marília Mendonça morreu, aos 26 anos, na queda de um avião nesta sexta-feira (5) em Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, no oeste de Minas Gerais, segundo o Corpo de Bombeiros. A sertaneja viajava para cumprir agenda de shows.

Ainda segundo informações dos Bombeiros, foi recebido um chamado por volta das 15h30 para atender ocorrência de queda de aeronave em curso d’água próximo de um acesso da BR-474.

O avião caiu a cerca de 3 quilômetros do aeroporto de Caratinga, onde estava previsto o desembarque. Além da cantora, mais quatro pessoas que estavam no avião morreram.

Confira o que se sabe até agora sobre a queda do avião:

  • Quem estava a bordo
  • Aeronave bateu em um cabo de uma torre de energia
  • Aeronave com problemas
  • MPF cobrou Anac por irregularidades em avião
  • FAB e Polícia investigam queda da aeronave
  • Para onde Marília Mendonça estava indo
  • Velório e sepultamento

Quem estava a bordo

Segundo a assessoria de imprensa da cantora, cinco pessoas estavam a bordo do avião que caiu em Minas Gerais: Marília Mendonça, o produtor Henrique Ribeiro, o tio e assessor da cantora Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto e co-piloto do avião.

No começo da noite, o piloto foi identificado como Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto como Tarciso Pessoa Viana.

Todos morreram no acidente.

Avião bateu cabo de uma torre de distribuição de energia

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) informou que o avião bateu em um cabo de uma torre distribuição de energia da companhia em Caratinga.

“A Cemig manifesta seu pesar pelas vítimas do acidente e presta solidariedade a familiares e amigos”, declarou.

Aeronave com problemas

A aeronave é um bimotor Beech Aircraft, da empresa PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ.

O avião operava desde o início do ano realizando voos com o problemas no para-brisa, com situações em que o vidro ficava embaçado com prejuízo visual em pousos e decolagens, segundo Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O fato era conhecido pela empresa, porém ignorado.

No entanto, não se sabe a causa da queda do avião.

MPF cobrou Anac por irregularidades em avião

A Procuradoria da República em Goiás enviou, em junho deste ano, uma notícia de fato – uma espécie de procedimento administrativo – à Anac solicitando ao órgão que se manifestasse sobre a omissão em fiscalizar supostas irregularidades da empresa PEC Táxi Aéreo, proprietária do avião que caiu em Caratinga, causando a morte de Marília Mendonça.

De acordo com a denúncia anexada ao documento, a empresa não estaria respeitando a jornada de trabalho e regulamentação de descanso dos pilotos e da tripulação; estaria operando com equipamentos de segurança em desacordo com as normas; e teria obtido vantagens por meios ilícitos em licitações nos estados de Rondônia e Roraima.

A Anac informou em nota que “se solidariza com os familiares das vítimas do acidente aéreo na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais, nesta sexta-feira (5)”.

“A aeronave de matrícula PT-ONJ, modelo C90A, tinha como proprietário e operador a empresa Pec Taxi Aereo Ltda e possuía capacidade para transportar seis passageiros, além dos pilotos. De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o avião estava com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) válido até 01/07/2022”, diz o texto.

Segundo a Anac, a empresa tinha autorização para operar táxi-aéreo. “As investigações sobre as causas do acidente serão realizadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticas (Cenipa), do Comando da Aeronáutica. A Agência acompanha as investigações que estão em curso e se mantém à disposição.”

FAB e Polícia investigam queda da aeronave

Após a queda do avião que matou a cantora e mais quatro pessoas, a Força Aérea Brasileira (FAB) anunciou, na noite desta sexta-feira (5), que abriu investigações para identificar os motivos do incidente.

Segundo a FAB, membros do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 3), no Rio de Janeiro (RJ), foram acionados para identificar se houve falha mecânica ou humana na queda da aeronave.

A Polícia Civil de Minas Gerais também enviou equipes da perícia criminal, de investigadores e delegados ao local dos fatos, onde realizam os primeiros levantamentos no local.

Para onde Marília Mendonça estava indo

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o avião partiu às 13h05, do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia.

Nas redes sociais, a cantora afirmou que faria um show em Caratinga, em Minas Gerais. Ela publicou um vídeo no avião na sexta-feira (5), momentos ante da decolagem.

Velório e sepultamento

O corpo de Marília Mendonça será velado em Goiânia neste sábado (6). A previsão era que a despedida começasse às 9h, mas a cerimônia foi atrasada até pouco antes das 13h. O velório é no ginásio Goiânia Arena, de acordo com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que decretou luto oficial de três dias em razão da morte da cantora.

Segundo a assessoria da artista, a previsão é que o público possa se despedir até as 16h – os portões foram abertos por volta das 13h15. No Twitter, o governador disse que a informação foi passada pela família da cantora. “Goianos vão poder prestar linda homenagem. Peço calma e respeito à sinalização para que todos possam dar o seu adeus. Previsão inicial de até 100 mil pessoas passando pelo local”, escreveu.

Além da cantora, Abicieli Silveira Filho, assessor e tio de Marília, também será velado no mesmo local e horário.

Segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade da capital goiana, haverá cortejo do ginásio até o Cemitério Parque Memorial. O sepultamento, que contará apenas com familiares, está previsto para as 17h30.

Relembre outras personalidades que morreram em 2021:

Mais Recentes da CNN