Onda de calor no Sul deve se dissipar a partir da quarta (19), diz meteorologista

À CNN, Francisco de Assis Diniz disse que a previsão é que o calor intenso não chegue na região Sudeste

Duda Cambraia*João Pedro Malarda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A região Sul do Brasil ainda deve enfrentar a forte onda de calor por mais alguns dias, mas a previsão é que ela se dissipe a partir da quarta-feira (19), segundo Francisco de Assis Diniz, meteorologista-chefe do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Em entrevista à CNN neste domingo (16), ele afirmou que a onda atingiu grande parte do Rio Grande do Sul e a Argentina, Paraguai e Uruguai. No estado brasileiro, ela gerou uma temperatura máxima de 37,9ºC em Porto Alegre no sábado (15), e de 40,6ºC na cidade de Uruguaiana.

“As temperaturas têm ficado na faixa dos 40ºC, 41ºC no Rio Grande do Sul na parte oeste e sudoeste. Essa onda de calor continua até quarta-feira, com temperatura na faixa dos 40ºC, pegando também o sul do Mato Grosso do Sul, e aí ela se dissipa”, diz.

Apesar do calor intenso, as temperaturas não devem chegar aos recordes registrados na Argentina, com várias localidades acima dos 44ºC e a capital do país, Buenos Aires, registrando a segunda maior temperatura da história.

Segundo Diniz, a expectativa é que a onda de calor não chegue à região Sudeste, já que ela está estacionada no Rio Grande do Sul e em partes do Paraná e do Mato Grosso do Sul. “No Sudeste continua a tendência de chuva, em especial entre São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, com temporais localizados e volumes significativos”.

O calor no Sul também criará condições para a ocorrência de temporais no início desta semana, com a possibilidade de granizo.

Para a cidade de São Paulo, a previsão para a semana é de céu nublado e tempo fechado, com condições para mais chuvas e poucas horas de Sol.

“A ausência do Sol é porque os ventos estão jogando muita umidade do oceano da costa de São Paulo, Espírito Santo e do Sul para essa região, daí as condições para as chuvas intensas, junto com um contraste térmico com as áreas com calor”, diz.

No caso de Minas Gerais, que tem sido afetada por fortes chuvas neste começo de ano, a previsão para a semana é de estagiam. “No decorrer da semana, a partir da quarta-feira, voltam as condições de chuva, pegando mais Espírito Santo e a parte central de Minas Gerais, mas não tão intensa quanto antes, dentro das condições normais”, afirma o meteorologista.

Diniz afirma que as chuvas estão retornando a áreas afetadas do Centro-Sudeste, em especial na Bahia e em Minas Gerais, mas “de maneira mais tranquila. Mas precisamos aguardar para ver se ocorre alguma mudança na atmosfera”.

Até o momento, a previsão para fevereiro é de chuvas dentro da normalidade, mas a ocorrência de temporais ainda não está descartada, devido às temperaturas elevadas.

“Porém, a gente tem a previsão de março voltar a intensificação das chuvas de novo. Podemos ter um final de fevereiro com chuvas intensas pegando Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás”, diz.

*Sob supervisão de Elis Franco

Mais Recentes da CNN