Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Policial é baleado em SP durante protesto por falta de energia elétrica

    Tumulto acontece na Comunidade de Paraisópolis, na zona sul da cidade

    Marcos RosendoLeonardo Rodriguesda CNN

    São Paulo

    Um policial militar foi atingido por um tiro na perna durante um protesto na comunidade de Paraisópolis, na zona sul da cidade de São Paulo, na noite desta terça-feira (7).

    De acordo com o Centro de Operações da Polícia Militar, o autor do disparo não foi identificado. O policial ferido foi socorrido e levado a um hospital da região. A PM não deu detalhes sobre o estado de saúde do militar nem o nome do hospital onde ele foi internado.

    Protesto

    A manifestação foi motivada pela falta de energia que afeta a região desde o temporal de sexta-feira (3) e começou por volta das 17h30, segundo a PM.

    Dezenas de policiais da 1ª Companhia do 16º Batalhão da Polícia Militar foram designados ao local para conter o tumulto.

    Os manifestantes interromperam a circulação na avenida Giovanni Gronchi e atearam fogo em pedaços de madeira e sacos de lixo, causando congestionamento na região. Ainda de acordo com a Polícia Militar, eles usavam materiais inflamáveis e coquetéis “molotov”.

    Apagão em SP

    A falta de energia começou após a chuva de sexta e teve um pico no final de semana, quando 3,7 milhões de pessoas chegaram a ficar sem luz no estado, de acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que classificou a situação como “atípica”.

    A Enel, responsável pelo fornecimento na região metropolitana de São Paulo, informou que ainda há 107 mil clientes sem energia elétrica no estado de São Paulo. A empresa havia prometido, ainda no final de semana, que todos os reparos na rede elétrica seriam realizados até esta terça-feira (7).

    O grupo CPFL Energia, que atende 234 municípios no interior e no litoral de São Paulo, informou na noite desta terça que 18.700 clientes seguiam sem energia.

    Veja: Tarcísio diz que SP ainda tem 300 mil imóveis sem energia