Prefeitura de SP propõe Carnaval fora de época em julho para blocos

Batizado de "Esquenta de Carnaval", as autoridades disponibilizarão um formulário para que os blocos de rua manifestem o desejo de desfilar nos dias 16 e 17

Danúbia Bragada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A secretária municipal de Cultura de São Paulo, Aline Torres, anunciou, nesta quarta-feira (20), a proposta da prefeitura da capital paulista para realização de um Carnaval de rua fora de época nos dias 16 e 17 de julho. Segundo a secretária, os blocos concordaram com a ideia.

Batizado de “Esquenta de Carnaval”, as autoridades disponibilizarão um formulário online para que os blocos manifestem seu desejo de desfilar em julho.

Deve ser criado um “Comitê de Carnaval” para gerenciar a organização do evento, informou a secretária.

Para o feriado prolongado de Tiradentes, que acontece entre esta quinta (21) e domingo (24), a secretária reforçou que não existe autorização para que os blocos saiam na rua.

A Prefeitura chegou a pedir aos blocos que avisem caso pretendam desfilar em Tiradentes, para que se faça a limpeza depois. Mas, segundo a secretária, nenhum bloco entrou em contato até o momento.

Escolas de samba de São Paulo

Após dois anos em silêncio, os tambores voltarão a rufar no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo, a partir do dia 22 de abril, com os desfiles das escolas de samba do grupo especial do Carnaval.

Entre idas de vindas, as avenidas seriam preenchidas inicialmente com carros alegóricos e fantasias nos dias 25 e 26 de fevereiro. Entretanto, o aumento de casos de Covid-19 e o avanço da variante Ômicron adiaram a festa para o feriado de Tiradentes, em decisão conjunta com o Rio de Janeiro.

Com homenagens à fé nos orixás, aos antigos carnavais, a personalidades negras e manifestos contra o racismo e discriminações, as histórias que serão contadas na avenida são variadas, mas buscam o mesmo objetivo: a vitória.

Para a entrada no evento, a Prefeitura de São Paulo exige o passaporte vacinal, com ao menos duas doses; disponibilização de álcool em gel para higienização das mãos; medidas para adequação do ar em ambientes fechados, que sejam climatizados ou não, para minimização dos riscos de infecção.

Ainda solicitam o maior número possível de acessos de entradas e saídas de público, para que ocorram de maneira escalonada, sem provocar demais aglomerações.

Conforme adiantado pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB)em entrevista à CNN, em 17 de março, os componentes estão dispensados da utilização de máscaras.

A decisão ocorreu após o poder municipal retirar a obrigatoriedade da utilização da medida de proteção contra o coronavírus em locais fechados, estabelecida depois do parecer do então governador de São Paulo, João Doria (PSDB). A liberação para ambientes externos aconteceu em 9 de março.

Anteriormente, no primeiro protocolo definido em janeiro, era necessária a utilização de máscaras para o público e membros das agremiações carnavalescas.

Veja o que pode e não pode entrar no Sambódromo do Anhembi:

O que pode entrar

  • Mochila;
  • Capa de chuva;
  • Bandeira sem mastro.

O que não pode entrar

  • Substâncias tóxicas;
  • Fogos de artifício;
  • Papel em rolo (jornais, por exemplo);
  • Balões em geral;
  • Armas de fogo, branca ou de qualquer espécie;
  • Comidas e bebidas em geral;
  • Bandeiras com mastro;
  • Guarda-chuvas.

Crianças menores de 6 anos não podem entrar. Entre 6 e 12 anos devem estar acompanhadas dos pais ou responsáveis. Já de 13 a 17 anos precisam estar assistidas por um responsável maior de idade.

Transporte

Nos dias de desfiles do grupo especial, de acesso e das campeãs, serão ativadas duas linhas exclusivas de ônibus que irão ao Anhembi partindo das estações Portuguesa-Tietê e Palmeiras-Barra Funda das linhas 1 – Azul e 3 – Vermelha do Metrô, respectivamente.

Se for de Taxi, o desembarque será realizado entre a ponte da Casa Verde e a avenida Braz Leme. No momento da saída, serão montados quatro bolsões para embarque.

O transporte para pessoas portadoras de deficiência será realizado pelo serviço Atende da prefeitura, com operação entre 18h e 8h partido dos seguintes destinos em ida e volta: Metrô Portuguesa-Tietê; estacionamento do Pavilhão do Anhembi; e o posto da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), na avenida Olavo Fontoura.

Quem necessitar de estacionamento, poderá utilizar o do Pavilhão do Anhembi, com cobrança à parte e capacidade para quatro mil veículos.

Douglas Porto, da CNN, contribuiu para esta reportagem

Mais Recentes da CNN