Psicólogas criam serviço para auxiliar vítimas de enchentes na Bahia

Profissionais atendem gratuitamente os afetados pela chuva, que já deixa milhões de desabrigados no estado

Vista aérea de área inundada de Itabuna, na Bahia
Vista aérea de área inundada de Itabuna, na Bahia Leonardo Benassatto/Reuters (26/12/2021)

Leandro ResendeRayane RochaThayana Araújoda CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A psicóloga Valéria Cardoso é baiana de nascimento, mas ficou dez anos sem visitar a cidade de origem, Itabuna. Quando voltou para visitar a família, neste mês, viu o município e boa parte do estado serem devastados pela forte chuva que já deixa milhares de desabrigados.

Além disso, outras 25 pessoas morreram em consequência dos estragos provocados pelo temporal. Para auxiliar os conterrâneos neste momento de dificuldade, ela e a também psicóloga Franciele Vieira criaram o projeto “Psicológas em Conexão”, para prestar auxílio e cuidar da saúde mental das vítimas da tragédia.

Franciele é moradora de Itabuna, município localizado no sul da Bahia. A região ganhou destaque nos últimos dias por ser uma das localidades mais acometidas pela água. O episódio do idoso de 71 anos, José Alves Nascimento Filho, resgatado de dentro de casa com a água na altura do peito, é um reflexo de como se encontra a cidade depois do ocorrido. A itabunense foi quem levou a conterrânea Valéria para ver de perto os danos da chuva intensa e os cidadãos que estão sofrendo com a destruição.

O “Psicológas em Conexão” começou as atividades na última terça-feira (28) e, desde então, está recrutando profissionais da área para atuarem como voluntários. Só em um dia, a dupla recebeu inscrições de cerca de 300 pessoas que desejam fazer parte da iniciativa. Os interessados podem se inscrever para o trabalho de voluntariado até o dia 6 de janeiro de 2022.

Psicólogas criam serviço para auxiliar vítimas de enchentes na Bahia / Divulgação

A ideia é que, a princípio, seja feito um acolhimento emergencial para a população que se encontra amparada nas igrejas e escolas de Itabuna. No entanto, Valéria tem perspectivas de expandir o serviço de assistência e disponibilizar esse suporte de forma presencial e online. “Temos a previsão de, até o dia 6, aumentar o número de inscritos e ter mais pessoas para trabalhar com a gente, porque a situação é bem complexa. Temos pessoas de todas as idades aqui”, explica. “E a gente pretende atender a Bahia inteira”, garante.

Fotos – Veja os danos causados pelas chuvas na Bahia

Para tornar possível os atendimentos, Valéria e Franciele têm contado com a ajuda do analista de TI, Bruno de Tassis. Apesar de ser natural de Itabuna, ele também não mora na cidade há algum tempo. Mesmo residindo em Brasília, Bruno se juntou às duas para dar vida ao projeto. Agora, ele é um dos responsáveis por desenvolver uma plataforma, que vai intermediar o cadastro de psicólogos e pacientes e facilitar essa conexão. A expectativa é de que o canal esteja finalizado até o dia 10 de janeiro.

“Quando eu era criança vivi algo parecido muitas vezes. Eu sei o esforço que foi para me construir como ser humano e profissional vivendo uma realidade tão dolorosa. A cidade tem um nível socioeconômico pequeno, então isso me mobiliza pessoalmente”, conta Valéria.

“Atualmente, faço pesquisa em tecnologia. Então, pensei em usá-la pra criar algo que possa ajudar essas pessoas, as quais eu tenho uma identificação interna”, complementa.

Mais Recentes da CNN