Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    São Paulo, Rio e Brasília têm manifestações pró e contra o governo

    Atos foram majoritariamente pacíficos até o início desta tarde

    Anna Satie e Talis Maurício,

    da CNN, em São Paulo*

    São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília registraram manifestações pró e contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste domingo (21).

    Os movimentos foram majoritariamente pacíficos. Em Brasília, a Polícia Militar usou spray de pimenta para dispersar manifestantes bolsonaristas que tentaram ultrapassar a barreira montada na Esplanada dos Ministérios.

    Após rápida dispersão, os próprios manifestantes pró-governo afastaram parte das pessoas que causaram o tumulto e retornaram à grade para cantar o hino nacional.

    Na semana passada, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), determinou o bloqueio de carros e pedestres na Esplanada dos Ministérios para evitar manifestações no local. Neste domingo, no entanto, está permitida a presença de pedestres na região, mas veículos seguem proibidos de acessar a Esplanada.

    Apesar de em menor quantidade, cartazes pedindo o impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), continuavam presentes. O presidente não participou dos atos

    Já os manifestantes contrários ficaram do lado oposto da Esplanada dos Ministérios, em frente ao Teatro Nacional. Eles portavam faixas com palavras de ordem e em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e havia pessoas de jalecos brancos no local.

    Atos contrários e favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro em São Paulo
    Atos contrários e favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro em São Paulo, na Praça Roosevelt e na Avenida Paulista, respectivamente
    Foto: CNN (21.jun.2020)

    Em São Paulo, é a segunda semana desde a decisão do Ministério Público que determinou um revezamento entre grupo pró e antigoverno no uso da Avenida Paulista para protestos. Os favoráveis ocuparam parte da calçada e duas faixas da via, próximo ao prédio da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo). Não houve bloqueio de trânsito e os veículos trafegavam normalmente no local. A Polícia Militar fez um cordão para isolar os manifestantes do restante da avenida.

    Antes do início do ato, um ciclista passou pela concentração e provocou os manifestantes. Ele colidiu contra uma motocicleta e a polícia agiu para separar a confusão. Os envolvidos foram levados para a delegacia da região.

    Já os contrários ao presidente se reuniram na Praça Roosevelt, na região central. Haviam faixas de partidos e de torcidas organizadas.

    De acordo com a PM, haviam cerca de 200 manifestantes na Paulista e 140, na Praça Roosevelt. 

    Manifestação pró Bolsonaro acontecem na zona sul do Rio de Janeiro
    Manifestação pró Bolsonaro acontece na zona sul do Rio de Janeiro
    Foto: Reprodução / CNN

    O movimento no Rio de Janeiro foi favorável ao governo. Cerca de 400 manifestantes, vestidos com roupas nas cores da bandeira do Brasil, se reuniram ao longo de toda manhã na praia de Copacabana. Os manifestantes pró-Bolsonaro chegaram a bloquear um trecho da Avenida Atlântica, mas na maior parte do tempo se concentraram apenas na faixa do calçadão que fica na costa da praia.

    Algumas das pessoas presentes no ato seguravam faixas que pediam a intervenção militar no Brasil, outro cartaz trazia uma mensagem contra o comunismo. O movimento começou a se dispersar à partir das 13h.

    (Com informações do Estadão Conteúdo)