Grupo pró-Bolsonaro e anti-isolamento faz carreata e fecha avenida em São Paulo


Da CNN, em São Paulo
18 de abril de 2020 às 17:40 | Atualizado 20 de abril de 2020 às 17:43

Manifestantes fecharam parte da Avenida Paulista, em São Paulo, neste sábado (18) com uma carreata a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e contra o governador paulista, João Doria (PSDB).

O protesto tem como alvo as medidas de isolamento adotadas pelo governo de São Paulo para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. Os manifestantes pediram a reabertura do comércio e a volta dos serviços que não são essenciais.

Na sexta-feira (17), o governo paulista anunciou que a quarentena no estado foi prorrogada até o dia 10 de maio. O objetivo, segundo Doria, é "evitar o colapso da saúde pública e, consequentemente, da saúde particular". "Há um mês, tivemos a primeira morte em São Paulo, Hoje, são 853 mortes", disse o governador.

Leia também:

Como é a luta contra o coronavírus na UTI lotada do Emílio Ribas, em SP

Em cemitério de SP, média diária de abertura de covas vai de 50 para 300

Os manifestantes ficavam próximos uns aos outros, contrariando recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), e poucos usavam máscaras.  

Em números absolutos, São Paulo é o estado brasileiro mais afetado pela COVID-19. Até hoje, segundo o Ministério da Saúde, houve 991 mortes e 13.894 casos.

São Paulo também é um dos sete estados com em situação de emergência, segundo o Ministério da Saúde, por ter um coeficiente de incidência da COVID-19 acima da média nacional de 160 casos por 1 milhão de pessoas. 

No Brasil como um todo, já são 2.347 mortes e 36.599 casos confirmados da doença.