Covid-19, racismo e segurança dominam Twitter às vésperas do segundo turno

Levantamento da FGV mostra que esses são os temas de maior preocupação para eleitores

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
27 de novembro de 2020 às 16:23 | Atualizado 27 de novembro de 2020 às 16:46

 

Às vésperas do segundo turno das eleições, as atenções dos eleitores se dividem entre a preocupação com a segurança pública e uma possível segunda onda de Covid-19 no país, aponta levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Dapp) sobre o comportamento no Twitter faltando poucos dias para o pleito.

O estudo analisou milhares de tuítes feitos entre os dias 16 e 23 de novembro e observou diferenças entre o comportamento dos usuários das capitais analisadas — Rio, São Paulo, Recife e Porto Alegre, que terão segundo turno.

Leia também:

TSE aprova envio de tropas federais para três localidades para 2º turno

Eleições 2020: Veja quais são as 57 cidades onde haverá 2º turno

Símbolo da rede social Twitter
Símbolo da rede social Twitter
Foto: Agência Brasil


Em São Paulo, a Covid-19 foi o tema de maior destaque nos debates entre os eleitores. O pico do debate, que totalizou mais de 51 mil postagens no Twitter, se deu quando da chegada de 120 mil doses da vacina Coronavac na cidade, na última quinta-feira (19). Medidas restritivas tomadas pelo governo do estado e a discussão sobre a obrigatoriedade da vacinação mobilizaram os eleitores nas redes. 

No Rio, o avanço da pandemia e o aumento na taxa de ocupação de leitos de UTI por pacientes de Covid-19 entrou no debate em meio às críticas da realização de festas e aglomerações na capital. O tema, no entanto, ficou atrás das menções feitas pelos cariocas sobre a segurança pública. Foram feitas 22 mil menções que destacaram o envolvimento endêmico das milícias na política carioca — as quais teriam influência, inclusive, sobre o resultado das eleições no município.

 

Um tema atravessou com destaque todas as cidades: o debate sobre racismo, provocado pela morte de João Alberto Freitas no dia 19 de novembro, em um supermercado, em Porto Alegre.

Na capital gaúcha o tema foi o que mais mobilizou os usuários no Twitter. Com mais de 64 mil menções de usuários do Twitter da cidade, o assunto superou, por muito, discussões sobre saúde e educação, por exemplo. 

“A morte do João Alberto, no Carrefour, pautou o tema do racismo e da segurança pública nacionalmente. Mas no que diz respeito à saúde, a discussão fica muito mais regional. Em São Paulo e Recife, por exemplo, a conversa é sobre a compra de vacina. No Rio, o crescimento da fila de espera por leitos na rede pública é a grande preocupação”, afirma o pesquisador da FGV Danilo Carvalho. 

No Recife, onde a acirrada disputa eleitoral entre primos mobiliza os eleitores, o tema mais comentado também foi a pandemia do novo coronavírus e seus impactos na capital pernambucana (2,6 mil postagens), seguido pela discussão sobre segurança, também como efeito da morte de João Alberto em Porto Alegre.