MPF abre investigação sobre celulares na cela de Daniel Silveira

Apesar de ser parlamentar, Silveira estava preso por ordem do Supremo Tribunal Federal e não deveria nunca ter tido acesso a celulares

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
19 de fevereiro de 2021 às 13:00 | Atualizado 19 de fevereiro de 2021 às 15:23

O Ministério Público Federal irá abrir ainda nesta sexta-feira (19) uma investigação para apurar como dois celulares foram parar no local em que o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) estava preso, na sede da Polícia Federal no Rio. Um dos aparelhos havia sido apreendido no dia da prisão dele, na última terça-feira, como mostrou a CNN.

O MPF irá abrir um procedimento investigatório criminal através do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial. A avaliação, de acordo com apuração da CNN, é de que o caso é grave e atípico. Apesar de ser parlamentar, Silveira estava preso por ordem do Supremo Tribunal Federal e não deveria nunca ter tido acesso a celulares.

 

Deputado federal Daniel Silveira (PSL) é conduzido no IML do Rio de Janeiro
Deputado federal Daniel Silveira (PSL) é conduzido no IML do Rio de Janeiro
Foto: Betinho Casas Novas/Futura Press/Estadão Conteúdo

O crime está previsto no Código Penal e prevê prisão de até um ano para quem “ingressar, promover, intermediar, auxiliar ou facilitar a entrada de aparelho telefônico de comunicação móvel, de rádio ou similar, sem autorização legal, em estabelecimento prisional”.

Daniel Silveira ficou detido por dois dias em uma sala na superintendência da PF.