Murillo de Aragão: Governo pode ampliar espaço do Centrão para fortalecer base

Para Murillo de Aragão, presença do Centrão também pode ajudar pauta econômica

Produzido por Rudá Moreira, da CNN em Brasília
30 de março de 2021 às 00:04 | Atualizado 30 de março de 2021 às 00:14

Após promover várias mudanças em ministérios nesta segunda-feira (29), o governo deve voltar seu olhar para mais alterações em cargos de segundo escalão, avalia o cientista político Murillo de Aragão em entrevista à CNN.

"Para consolidar uma base política realmente operacional e evitar surpresa, como a votação do orçamento semana passada, talvez o governo tenha que ampliar o espaço dos políticos porque a realidade hoje é que temos um presidencialismo compartilhado entre o poder executivo e legislativo", avalia.

Para o cientista político, a presença crescente do Centrão pode ajudar a destravar a pauta econômica.

"O Centrão chega dentro do Palácio do Planalto com a deputada Flávia Arruda (que assume a secretaria de Governo), e há uma boa ligação entre Paulo Guedes e Arthur Lira pela agenda de reformas. Com o fortalecimento do Centrão e da coordenação política do governo, a agenda da equipe econômica pode ganhar maior tração. Mas não é um efeito automático, tem que se trabalhar na coordenação política", explica.

O cientista político Murillo de Aragão (29.mar.2021)
O cientista político Murillo de Aragão (29.mar.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Sobre a saída do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, Aragão acredita que o motivo seja uma insatisfação mútua. "Não há ruptura, há um estremecimento que revela insatisfações de ambos os lados há algum tempo. E, provavelmente, pelo acúmulo de desgaste, se chegou a essa situação com o ministro Azevedo pedindo demissão".

 

(Publicado por Sinara Peixoto)