Desfiliação de Maia do DEM aumenta debandada do partido, que estuda retomada

Maia justificou sua saída na justiça eleitoral alegando grave discriminação política pessoal contra ele no partido

Da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2021 às 18:34

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (RJ) oficializou nesta sexta-feira (14) sua desfiliação do Democratas (DEM), adicionando nova baixa ao partido. Nesta sexta, o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, também deixou o DEM. Garcia se filiou ao PSDB, do titular João Doria.

Outra baixa programada para acontecer é a de Eduardo Paes. O prefeito do Rio de Janeiro ainda não saiu oficialmente do partido, mas vai para o PSD. Com as novas baixas, o Democratas estuda retomada. As informações são das jornalistas da CNN Daniela Lima e Renata Agostini.

Maia justificou sua saída à Justiça Eleitoral alegando grave discriminação política pessoal contra ele no partido, citando que houve traição na disputa para a Presidência da Câmara dos Deputados, quando o DEM não apoiou seu candidato, Baleia Rossi (MDB-SP), e se alinhou a Arthur Lira (PP-AL). No documento. Maia disse que o Democratas o traiu quando passou a se alinhar com Bolsonaro e Lira.

As saídas do partido envolveram o presidente nacional do Democratas, ACM Neto, que foi ao Twitter criticar as decisões de Rodrigo Garcia e Rodrigo Maia, dizendo terem sido motivadas por pressão do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

O ex-presidente da Câmara se envolveu na discussão respondendo à mensagem de ACM Neto, chamando-o de oportunista e dizendo que o ex-prefeito de Salvador nunca se alinharia a Doria.

Quem também se envolveu na discussão foi o secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, presidente do PSDB em São Paulo que acusou ACM Neto de se “bolsonarizar”.

Saídas para o Democratas

Apesar da debandada, ACM Neto disse que o problema não é nacional e que vai trabalhar para resolver os “problemas pontuais”. 

“Em São Paulo temos essa imposição criada pelo Doria. Vamos assistir isso achando bonito? Nós temos opções. Vou conversar com o pessoal do DEM em São Paulo e ajustaremos o caminho,” disse ACM Neto, que nos bastidores discute tentar trazer o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin para o DEM, desfalcando o PSDB.

Caso o cortejo por Alckmin não dê certo, o partido não descarta compor regionalmente com Rodrigo Garcia caso ele saia para tentar se eleger governador de São Paulo

No Rio de Janeiro, o movimento é para tentar trazer o atual governador do estado, Cláudio Castro (PSC), para o Democratas. ACM Neto diz que o acerto com Castro depende da confirmação da saída oficial de Paes do partido, que espera que aconteça neste final de semana.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia
Foto: Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo