Protestos contra Bolsonaro geram 69% de postagens negativas ao governo

Cenário indica uma consolidação da polarização entre Bolsonaro e a esquerda, o que reduz o espaço para o que se tem chamado de terceira via

Iuri Pitta
Por Iuri Pitta, CNN  
31 de maio de 2021 às 14:46 | Atualizado 31 de maio de 2021 às 14:55
Manifestantes no Masp - 29 de maio
Manifestantes se reúnem diante do Masp, na avenida Paulista, na tarde deste sábado (29)
Foto: José Brito/CNN

 

As manifestações realizadas por opositores do presidente Jair Bolsonaro no sábado (29) provocaram uma leve alta no volume de críticas ao governo federal. De acordo com levantamento obtido pela CNN, de cada 100 postagens no Twitter, 69 foram menções negativas - um aumento de 4 pontos em relação à média das últimas semanas - no dia dos protestos. No domingo (30), o indicador voltou ao patamar médio anterior.

Os dados fazem parte do monitoramento realizado pelo banco ModalMais com consultoria da AP Exata. Por meio da plataforma Horus, é feito uma avaliação diária da popularidade de Bolsonaro e dos sentimentos relacionados a ele, em uma análise de mais de 3 milhões de tuítes todos os dias, desde antes da posse do presidente, em janeiro de 2019.

Na semana passada, por exemplo, o pico de menções negativas foi registrado na quinta-feira, com 67%, quando a CPI da Pandemia no Senado interrogava o diretor-presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, a respeito do atraso nas negociações com o Ministério da Saúde para o fornecimento de vacina contra a Covid-19.

 

Esse cenário indica uma consolidação da polarização entre Bolsonaro e a esquerda, o que reduz o espaço para o que se tem chamado de terceira via. Em contrapartida, os dois polos da disputa antecipada pelas eleições de 2022 somam mais menções negativas do que positivas.

"As eleições estão muito cristalizadas em suas bolhas, por isso os dados mostram que as manifestações não causaram impacto significativo na imagem do presidente da República e vice-versa. Mas a direita perdeu o monopólio das ruas", avalia Mariana Pereira, da AP Exata.

Avaliação semalhante ocorreu após a manifestação de apoio a Bolsonaro da semana anterior, em que o presidente foi seguido por motociclistas no Rio. Houve uma variação positiva das menções favoráveis a Bolsonaro no dia do ato político, mas não se consolidou uma tendência de crescimento nos dias seguintes.

O levantamento aponta ainda que, assim como Bolsonaro, a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concentra grande rejeição, com ambos somando 66% de menções negativas, ante 34% positivas nesta segunda-feira (31).