CPI da Pandemia vai montar núcleos sobre intermediação de vacina e fake news

Senador Randolfe Rodrigues informou que a diretoria se reuniu neste sábado para tomar providências de continuidade do funcionamento da comissão durante recesso

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Pandemia
Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Pandemia Foto: CNN Brasil (14.jul.2021)

Fernanda Colavitti, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI Pandemia, informou que houve uma reunião ampliada da direção da CPI neste sábado (17) para tomar algumas providências de continuidade do funcionamento da comissão durante as semanas em que as sessões serão suspensas devido ao recesso parlamentar (de 18 a 31 de julho).

“A primeira [providência] é a montagem de núcleos que irão tratar de temas que estão advindo para essa comissão”, afirmou o senador. Ele disse que os núcleos irão tratar de questões como as empresas intermediárias para aquisição de vacinas, os contratos do Ministério da Saúde com a empresa VTCLOG e o papel das fake news no agravamento da pandemia.

“Além disso, estabelecemos que, entre os dias 26 e 29, deveremos ter uma reunião de senadoras, senadores e da direção da CPI com juristas para organizarmos o lastro jurídico necessário para o relatório final da CPI da Pandemia”, afirmou.

CPI prorrogada

Após o recesso de duas semanas, as sessões serão retomadas no dia 3 de agosto e prorrogadas por mais 90 dias. Inicialmente, a CPI da Pandemia, instalada no dia 27 de abril, seria encerrada no dia 7 de agosto, mas os trabalhos agora ocorrerão até outubro.

O regimento do Senado prevê que uma CPI pode ser prorrogada por até 90 dias se for apresentado um requerimento assinado por, pelo menos, um terço dos integrantes do Senado Federal. O documento foi apresentado por Randolfe Rodrigues, e continha as assinaturas necessárias para que fosse acatado.

Mais Recentes da CNN