Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Definição do vice de Tebet pode ficar para semana que vem, após convenções no RS

    Solução do impasse regional nos diretórios do MDB e PSDB gaúchos pode impactar na escolha do vice

    Simone Tebet (MDB)
    Simone Tebet (MDB) Divulgação

    Tainá Farfanda CNN

    em Brasília

    Indefinições no MDB e no PSDB do Rio Grande do Sul devem interferir na escolha do nome do vice de Simone Tebet (MDB). A senadora foi confirmada pelos partidos nessa quarta-feira (27) como o nome do chamado “centro democrático”, a união entre os emedebistas e a federação PSDB/Cidadania.

    A vaga de vice pertence à federação, mas a escolha do nome ainda depende da solução do impasse regional gaúcho, que, pela vontade das cúpulas dos partidos, viria com MDB cedendo a favor da candidatura de Eduardo Leite (PSDB), provavelmente com Gabriel Souza (MDB) na chapa como vice.

    A decisão final sobre a posição das legendas gaúchas será apenas na convenção estadual, marcada para domingo (31). Com isso, a definição do nome que ocupará a vaga de vice na chapa com Tebet deve sair depois dessa definição. Entre os cotados então Tasso Jereissati (PSDB), Eliziane Gama (Cidadania) e Mara Gabrilli (PSDB).

    Os diretórios gaúchos tanto do MDB, quando do PSDB farão suas convenções no mesmo dia. O presidente nacional tucano, Bruno Araújo, deve participar presencialmente da convenção no Rio Grande do Sul.

    A Associação de Prefeitos e Vices do MDB-RS já se manifestou favorável, por 52 votos a 10, à aliança com o PSDB na disputa ao Palácio Piratini, mas ainda há resistências locais.

    Segundo dirigentes partidários ouvidos pela CNN, Tasso Jereissati (PSDB) ainda é o preferido para ocupar a vice na corrida presidencial, apesar que, nos últimos dias, ele tem manifestado nos bastidores interesse pela disputa estadual, inclusive com possibilidade de tentar reeleição ao Senado Federal.

    Ainda de acordo com fontes das legendas, se o impasse regional não for solucionado, aumentam as chances de Eliziane Gama (Cidadania) ser a escolhida. Se for resolvido, ainda que Tasso resista, a intenção é tentar convencê-lo a ocupar a vaga de vice. Caso contrário, a ideia é oferecer ao tucano um posto de coordenação na campanha presidencial de Simone, como ele já exerceu em eleições passadas.