Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Delação de Cid exigiria aval da PGR e homologação pelo STF

    Cúpula da CPMI do 8 de janeiro tenta articular um acordo para receber mais informações do ex-ajudante de ordens em troca de redução de possíveis penas

    Cid foi ajudante de ordens de Bolsonaro; CPMI tenta articular delação do ex-ajudante
    Cid foi ajudante de ordens de Bolsonaro; CPMI tenta articular delação do ex-ajudante 24/02/2021 - DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Da CNN

    São Paulo

    A cúpula da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de janeiro está articulando um acordo de delação premiada para Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL).

    No entanto, isso exigiria aval da Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologação do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Um acordo de delação premiada do tipo nunca foi, até hoje, proposto por comissões parlamentares de inquérito. Apesar disso, a possibilidade é legalmente viável.

    Para tanto, a cúpula da CPMI pretende fechar acordo político com os demais membros da CPMI para que a medida seja aceita pelo colegiado.

    Assim, a CNN apurou que ainda não há previsão de quando a proposta de delação deve ser apresentada.

    A ideia é que o ex-ajudante de ordens receba, em troca, uma possível redução de eventuais penas que venha a receber no fim das investigações sobre a participação dele nos atos golpistas de 8 de janeiro e pelas fraudes em cartões de vacinação.

    Vídeo: Mauro Cid pode perder patente, dizem fontes do Exército

    *Publicado por Pedro Jordão, com informações da analista de política Thais Arbex, da CNN