É preciso sinal de Bolsonaro sobre combate ao desmatamento, diz especialista

Coordenador geral do MapBiomas, Tasso Azevedo disse à CNN que sinalização do presidente é necessária para mostrar efetividade das ações

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Nesta segunda-feira (22) o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, detalhou medidas de combate ao desmatamento na Amazônia. No entanto, para o coordenador geral do MapBiomas, Tasso Azevedo, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) deve ser o primeiro a garantir que essa estratégia será efetiva.

“A primeira ação que precisa ser feita é ter um sinal claro dado pelo presidente da República, que é quem no final das contas é o responsável pelos sinais que são dados pelo governo, dizendo que esse combate vai ser efetivo”, disse Azevedo em entrevista à CNN.

Segundo Leite, as medidas serão implementadas por meio da operação “Guardiões do Bioma”. De acordo com o chefe da pasta “mais homens e mais recursos” participarão do combate a incêndios e ao desmatamento ilegal.

O ministro também voltou a negar que teve acesso antecipado a um levantamento divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que mostra que o desmatamento da Amazônia atingiu a marca de 13.235 quilômetros quadrados entre 1 de agosto de 2020 a 31 julho de 2021, alta de 21,97% na comparação com o ano passado.

Apesar disso, o coordenador geral do MapBiomas afirmou que é “impensável” Leite não ter tido contato anteriormente com os números. “Já faz bastante tempo que os dados assim que são terminados pelo Inpe são encaminhados para o ministério [do Meio Ambiente]”, disse.

“Tanto o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações quanto o ministro do Meio Ambiente recebem esse dado e decidem o momento que vão fazer a divulgação.”

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN