Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Oposição e governadores articulam reação no STF para garantir Coronavac

    De acordo com a colunista Renata Agostini, a Rede Sustentabilidade já fez um movimento para levar o caso ao STF. O partido está preparando uma ação

    Renata Agostini, Daniela Lima, Gabriela Coelho e Giovanna Bronze, da CNN, em Brasília e em São Paulo

    Ouvir notícia

    Em meio ao impasse sobre a compra das doses da Coronavac com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), parlamentares da oposição e governadores começaram a articular na Justiça a reação para garantir o acesso aos imunizantes contra a Covid-19.  A Rede Sustentabilidade planeja ingressar com ação no Supremo Tribunal Federal solicitando à corte que obrigue o governo a comprar e distribuir vacinas aprovadas pela Anvisa.

    Em paralelo, governadores cogitam de ir à Justiça para garantir a compra da vacina. Alguns governadores disseram “com certeza” quando questionados se iriam à Justiça pela eventual vacina. Com isso, o governo federal pode vir a ser alvo de uma série de ações no Supremo caso avancem os testes, a eficácia seja comprovada e Bolsonaro siga resistindo à vacina.

     

    Leia e assista também:

    ‘Não será comprada’, diz Bolsonaro nas redes sobre vacina Coronavac
    Pazuello defendeu posição correta com base na ciência, diz Doria sobre Coronavac
    Governador do ES diz que embate sobre vacina chinesa pode atrasar retomada

    Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado, a sigla irá argumentar que o país vive uma situação de emergência na saúde pública e o governo tem de responder e fornecer à população a vacina disponível.

    A medida é uma reação à fala do presidente Jair Bolsonaro de que não irá comprar a Coronavac, que vem sendo desenvolvida e será produzida pelo Instituto Butantã.

    O partido pretende também pedir ao STF que a Anvisa tenha de analisar os pedidos conforme a ordem cronológica das solicitações feitas à agência. Há temor, segundo Ranfolfe, de que haja pressão sobre a agência e a análise da Coronavac seja retardada.

    Além disso, a Rede vai solicitar a obrigatoriedade de aquisição para o SUS da vacina após o aval da agência. De acordo com o senador, o partido deve ingressar com ação já nesta quinta-feira, 22.

    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na terça-feira, 20, em reunião com governadores que a vacina Coronavac, produzida pelo Butantã, chegará até “um mês e meio” antes da vacina de Oxford. Com isso, o governo federal poderia antecipar a vacinação da população.

     

    Reação

    Na manhã de hoje, diversos governadores foram às redes sociais para rebater a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que que não vai comprar a vacina CoronaVac, feita em São Paulo em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

    Após as postagens do presidente, o Ministério da Saúde fez pronunciamento para negar qualquer previsão de compra da vacina pelo Governo Federal. Um anúncio da compra havia sido feito ontem (20), depois da reunião entre o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, e os governadores.

    Em entrevista à CNN, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), afirmou que embate entre governo federal e o estado de São Paulo sobre a vacina chinesa Coronavac pode atrasar a retomada no país.

     

    Mais Recentes da CNN