Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo retoma força-tarefa para receber mais 78 repatriados de Gaza

    Repatriação deve acontecer nos próximos dias; grupo receberá documentos brasileiros que permitam a continuação da regularização migratória, atendimento de saúde e acolhimento em abrigo

    Crianças palestinas perto de escombros de casa atingida por ataque israelense em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza
    Crianças palestinas perto de escombros de casa atingida por ataque israelense em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza 27/11/2023 - Reuters/Mohammed Salem

    Teo Curyda CNN

    em Brasília

    O governo federal vai repetir a força-tarefa interministerial que colocou em prática em novembro ao receber os brasileiros e palestinos vindos da Faixa de Gaza para acolher e auxiliar o segundo grupo, que deverá ser repatriado nos próximos dias.

    O avião KC-30 da Força Áerea Brasileira (FAB) decolou às 5h08 deste sábado (9) do Rio de Janeiro com destino ao Cairo, capital do Egito, para resgatar o grupo de 78 brasileiros e familiares próximos que foram autorizados a deixar a Faixa de Gaza.

    A operação é coordenada pela Secretaria Nacional de Justiça, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e conta com atuação dos ministérios do Desenvolvimento Social, das Relações Exteriores, da Defesa e da Saúde.

    Os repatriados vão receber do governo documentos brasileiros e que permitam a continuação da regularização migratória, atendimento de saúde — com atualização de vacinas, auxílio de assistentes sociais e psicólogos — e acolhimento em abrigo.

    O segundo grupo, que aguarda autorização para cruzar a fronteira entre Rafah, no sul da Faixa de Gaza, e o Egito, é composto por 78 pessoas. Israel vetou 24 nomes da nova lista.

    O primeiro grupo que chegou ao Brasil no dia 14 de novembro reunia 32 brasileiros e dez parentes palestinos foram repatriados pelo governo brasileiro.

    De lá para cá, o governo ampliou os critérios para a inclusão de nomes na lista de repatriação. A primeira incluía cônjuges e filhos. A segunda permite também avós e irmãos mais velhos, o que faz com que haja mais palestinos do que brasileiros.

    A missão de repatriação trouxe ao Brasil 1.462 brasileiros, 11 palestinos, três bolivianas e uma jordaniana.

    O décimo primeiro voo de repatriação de brasileiros que estão na zona de guerra, operado pela Força Aérea Brasileira, acontecerá assim que houver a autorização para que o grupo cruze a fronteira com o Egito.

    A aeronave KC-30 sairá da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto Internacional de Cairo.

    A aeronave da FAB transportará cerca de 11 toneladas de alimentos não perecíveis, fornecidos pelo governo, para assistência humanitária.

    Ao todo, o Brasil enviou 40 purificadores de água com capacidade de tratar mais de 220 mil litros por dia, kits com medicamentos e insumos médicos que atendem até 6 mil pessoas ao longo de um mês e 1,5 tonelada de alimentos.