Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula realiza procedimento para dor no quadril e despachará do Alvorada até quinta-feira

    Presidente deve realizar cirurgia em outubro para solução definitiva de dor crônica no quadril

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante reunião de cúpula entre UE e Celac em Bruxelas
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante reunião de cúpula entre UE e Celac em Bruxelas 17/07/2023 REUTERS/Johanna Geron

    Léo Lopesda CNN

    em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou, na manhã desta quarta-feira (26), um procedimento médico para alívio de dores no quadril, na unidade do Hospital Sírio-Libanês, em Brasília.

    Por conta do tratamento, conforme antecipado pelo analista da CNN Gustavo Uribe, Lula irá despachar do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, até quinta-feira (27).

    O Palácio do Planalto informou que o procedimento “eletivo, minimamente invasivo, de denervação percutânea, no quadril direito” foi feito para alívio da dor crônica que o presidente sofre.

    “O procedimento de hoje foi realizado sem intercorrências”, afirmou o Planalto em comunicado.

    Entenda como funciona o procedimento que Lula fez nesta quarta

    À CNN, o médico Leandro Ejnisman, ortopedista especializado em quadril do Hospital Israelita Albert Einstein, explicou o que é o procedimento de “denervação percutânea” pelo qual o presidente passou.

    Ele contou que qualquer percepção consciente de dor que temos acontece por meio de um estímulo em um nervo. “A gente tem alguns nervos que existem próximos às articulações que são “sensitivos profundos”, e a gente pode interromper o sinal que passa por eles. Esse é o processo de denervação”, disse.

    De acordo com Ejnisman, essa interrupção pode ser feita de diferentes maneiras: por radiofrequência, por queimadura elétrica, com medicamentos ou até com o congelamento dos nervos. O comunicado do Palácio do Planalto não detalhou qual foi o método utilizado no quadril de Lula.

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio da Alvorada
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio da Alvorada / Foto: Ricardo Stuckert/PR

    “Como esses nervos estão próximos da articulação e só tem a função de levar a enervação para a articulação, essa interrupção do estímulo nervoso não vai causar problemas como o paciente deixar de estimular um músculo, ou deixar de ter uma sensibilidade na perna”, esclareceu o ortopedista.

    “Então, basicamente, esse procedimento é você interromper o estímulo nervoso de nervos que levam para o cérebro a sensibilidade de dor de uma articulação – sem causar o prejuízo da função de sensibilidade de pele ou motora”, completou.

    O médico ainda ressaltou que vê esse procedimento como “uma tentativa, não resolutivo” e provavelmente não vai evitar que Lula precise operar colocando uma prótese no quadril. “[Os médicos do presidente] estão tentando trazer um pouco mais de conforto enquanto o paciente não opera”, concluiu Ejnisman.

    Lula deve passar por cirurgia em outubro

    A expectativa, segundo o Planalto, é que Lula passe por uma cirurgia de artroplastia de quadril, em outubro, para solução definitiva das dores.

    “Eu quero fazer a cirurgia, porque eu não quero ficar com dor. Ninguém consegue trabalhar com dor o dia inteiro”, disse o presidente na terça-feira (25), durante sua live semanal.

    “Eu sinto que estou com mau-humor com os companheiros. Quando eu coloco o pé no chão já dói e eu tenho que falar ‘bom dia’ e às vezes eu não consigo. Às vezes fica visível no meu rosto que eu estou irritado, que eu estou nervoso. Você vai ficando uma pessoa, chata, incômoda. Então, eu tô chegando a conclusão que eu tenho que operar”, acrescentou.

    O que é artrose e por que Lula terá que fazer cirurgia

    A artrose é o desgaste da cartilagem que reveste nossas articulações. Ou seja, no local onde dois ossos se encontram, existe um tecido de cartilagem que age como amortecedor, facilitando a movimentação das articulações e liberando a amplitude dos movimentos.

    O desgaste das cartilagens ao longo da vida é um processo natural. Por isso, a artrose é mais comum em idosos. Quando ocorre no quadril, o processo leva a um desgaste especificamente da articulação na qual a cabeça do fêmur (osso da coxa) se liga ao acetábulo (parte do osso da pelve).

    Segundo o médico Leandro Ejnisman, ortopedista especializado em quadril do Hospital Albert Einstein, a cartilagem pode afinar até o ponto no qual os ossos ficam expostos. “Começa a acontecer um contato de osso com osso dentro da articulação, o que gera um quadro de dor e de limitação da amplitude de movimento”, disse.

    A cirurgia pela qual o presidente deve passar consiste em colocar uma prótese no quadril.

    “É uma cirurgia na qual a gente substitui a cabeça do fêmur por uma cabeça protética e é feito um revestimento na região da bacia conhecida por acetábulo, que é onde ocorre o encaixe da cabeça do fêmur na bacia, com uma taça ou uma cúpula acetabular”, explicou Ejnisman.

    A cirurgia costuma aliviar por completo a dor dos pacientes, possibilitando um retorno às atividades normais do dia-a-dia.

    Segundo o ortopedista, o procedimento não é tão simples e tem suas complexidades.

    “Necessita ser feito por um especialista em cirurgias de quadril, tem uma série de detalhes técnicos que são importantes”, falou. “Mas, apesar de complexo, ele tem um baixo índice de complicações e um resultado muito bom no alívio da dor.”

    Veja também – Análise: Reforma administrativa opõe governo Lula e Arthur Lira