Molica: Bolsonaro insiste em se vitimizar para não falar dos problemas do país

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista Fernando Molica repercutiu falas do presidente da República sobre possíveis rupturas no sistema democrático

Da CNN

São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (30), o jornalista Fernando Molica analisou as falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que, durante o fim de semana, citou, mais uma vez, possíveis rupturas em meio a uma crise entre os Poderes e ameaças às instituições democráticas.

Em Goiânia, Bolsonaro ainda disse que existem três opções para o futuro dele: ser preso, ser morto ou ter vitória.

“É mais uma bravata do presidente”, classificou Molica. “Primeiro, porque ele esqueceu de falar uma quarta opção, que é perder a eleição, algo que é do jogo.”

“Mais uma vez, Bolsonaro joga pra plateia. Ele tenta vestir a ideia de um injustiçado, alguém que luta sozinho contra o sistema, contra os poderosos. Ele não é líder da oposição, é o presidente da República, foi legitimamente eleito para exercer a Presidência e, mais uma vez, ele fala em ruptura — é talvez o presidente que mais fala isso”, disse o jornalista.

“O Bolsonaro insiste no tema da ruptura, insiste em se vitimizar, e insiste em não falar dos problemas do país. Ele insiste em não falar de inflação, desemprego, de reforma tributária, se haverá ou não calote nos precatórios, entre outros”, completou.

“Ele não fala de governo. Externa essas preocupações na linha de incentivo à torcida, como um líder de torcida”, concluiu.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Fernando Molica e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Fernando Molica no quadro Liberdade de Opinião / CNN Brasil (30.ago.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN