Molica: Guedes deve ser ouvido por senadores sobre offshore

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista Fernando Molica falou sobre caso de empresas no exterior do ministro da Economia e do presidente do BC

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (5), o jornalista Fernando Molica repercutiu a averiguação da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre as offshores que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, possuem.

A existência dessas empresas, cuja posse não é ilegal desde que declarada ao Fisco e ao BC, foi revelada por um trabalho investigativo de centenas de jornalistas e plataformas de comunicação ao redor do mundo. Por meio de nota, Guedes e Campos Neto afirmaram que suas contas no exterior foram declaradas e aprovadas por órgãos competentes quando ambos ingressaram em cargos federais.

Molica relatou conversas com parlamentares que confirmaram a possibilidade de Guedes ir ao Senado para explicar o caso. “Foi apresentado requerimento pelo senador Alessandro Vieira e ele confirmou que pediu para que Paulo Guedes seja convocado à Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. O requerimento deverá ser analisado ainda hoje”, disse o jornalista.

“A legislação permite que brasileiros tenham contas no exterior, isso não é proibido, desde que essas contas sejam declaradas, o que os dois fizeram — o problema é outro. O Código de Conduta da Alta Administração Federal proíbe que funcionários do alto escalão tenham aplicações financeiras no Brasil ou exterior que possam ser afetadas por decisões deles”, explicou o jornalista.

“Por isso que, nesses casos, sempre se recomenda que essas autoridades não manejem seus recursos, que elas deleguem a administração deles a fundos de investimentos, ou seja, despersonalizem. Até agora, o Paulo Guedes não disse se fez isso ou não.”

“Há pouco tempo teve uma proposta de reforma tributária apresentada no Congresso Nacional que previa taxação desses investimentos no exterior, e Guedes foi contra. Ele tem que explicar se vem depositando novos recursos nessas contas ou não, e se continua a administrar pessoalmente esses valores”, concluiu Molica.

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Gisele Soares. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN