Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Molon confirma pressão do PT, mas mantém nome para o Senado pelo Rio

    Pré-candidato do PSB diz que vai continuar fazendo campanha para o ex-presidente Lula

    O deputado federal Alessandro Molon afirmou que não participou de acordo para que PSB cedesse ao PT a candidatura ao Senado
    O deputado federal Alessandro Molon afirmou que não participou de acordo para que PSB cedesse ao PT a candidatura ao Senado Marcos Oliveira/Agência Senado

    Rachel Amorimda CNN

    no Rio

    Ouvir notícia

    O pré-candidato ao Senado pelo PSB, Alessandro Molon, reuniu a imprensa na tarde desta sexta-feira (4) para confirmar a intenção de concorrer a uma vaga no parlamento. Molon estava acompanhado de representantes de partidos que apoiam o PSB, entre eles, Ricardo Rangel (Cidadania) e Heloísa Helena (PSOL). Durante o pronunciamento, o pré-candidato ao Senado disse que nunca houve acordo com o Partido dos Trabalhadores.

    “Um dos argumentos que se levanta para defender a desistência é um suposto acordo para que fosse cedida a vaga ao PT. Eu quero deixar claro que nunca houve acordo entre PT e PSB para deixar o PT concorrer ao senado. Eu nunca participei de acordo para que isso acontecesse.”

    O PT cobrava que, em troca do apoio de Lula a Marcelo Freixo (PSB), que concorre ao governo do estado, o candidato ao Senado seria indicado pelos petistas. E o escolhido seria o atual presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, deputado André Ceciliano.

    Durante entrevista coletiva, Molon não só negou o acordo como citou a pressão do Partido dos Trabalhadores em relação aos recursos de campanha.

    “Há uma pressão forte do PT sobre setores do PSB para que eu não receba recursos de campanha. Nós não desistiremos da candidatura porque temos a condição de vencer o candidato do bolsonarismo, Romário”. Para viabilizar a pré-campanha, Alessandro Molon lançou uma campanha de financiamento coletivo na internet.

    O pré-candidato ao Senado falou ainda da relação atual com o Partido dos Trabalhadores. Disse que o que passou está superado e confirmou apoio à campanha do ex-presidente Lula. “Com toda certeza vou fazer campanha para o Lula. Nós não podemos brincar, errar nesse momento. Estou com ele.”

    A executiva nacional do PT aprovou, em reunião no começo da tarde desta sexta-feira (5), a manutenção da aliança em torno da candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao governo do Rio.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

    Fotos — Os senadores em fim de mandato

    Mais Recentes da CNN