Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moraes autoriza visita de senadores a Silvinei Vasques na prisão

    Ex-diretor da PRF é investigado pelas blitze da corporação no dia do segundo turno das eleições de 2022

    Visitas poderão ser feitas em blocos de até três congressistas
    Visitas poderão ser feitas em blocos de até três congressistas William Borgmann

    Lucas Mendesda CNN Brasília

    O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta segunda-feira (24) um grupo de senadores a visitar na prisão o ex-diretor geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques.

    A decisão atende a pedido dos congressistas.

    A autorização vale para os senadores Damares Alves (Republicanos-DF), Eduardo Girão (Novo-CE), Esperidião Amin (PP-SC), Izalci Lucas (PL-DF), Zequinha Marinho (Podemos-PA), Jaime Bagatolli (PL-RO), Ciro Nogueira (PP-PI), Sérgio Moro (União Brasil-PAR), Marcos Pontes (PL-SP), Tereza Cristina (PP-MS), Jorge Seif (PL-SC), Plínio Valério (PSDB-AM), Cleiton Azevedo (Republicanos-MG), Hamilton Mourão (Republicanos-RS), Magno Malta (PL-ES) e para os senadores licenciados Luiz Carlos Heinze (PP-RS) e Rogério Marinho (PL-RN).

    As visitas poderão ser feitas em blocos de até três congressistas por vez, sem a presença de assessores ou seguranças.

    A ida ao presídio deve ser previamente agendada na Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal e seguir as regras da Vara de Execuções Penais.

    É proibido, por exemplo, registrar imagens dentro das unidades prisionais.

    Silvinei Vasques está preso desde 9 de agosto do ano passado no Complexo da Papuda, em Brasília.

    O ex-diretor da PRF é investigado no inquérito das blitzs feitas pela corporação no dia do segundo turno das eleições presidenciais de 2022, em especial no Nordeste, com bloqueios em rodovias de cidades onde o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria vantagem contra Jair Bolsonaro (PL).