MP abre inquérito para investigar convocação de coronel a manifestações

A medida causou debate sobre o direito de policiais militares participarem dos protestos

Tainá Falcãoda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O Ministério Público instaurou nesta terça-feira (24) inquérito contra o coronel Alexander Lacerda para apurar as publicações nas redes sociais que apoiavam explicitamente as convocações para a manifestação de 7 de setembro, a favor do presidente Jair Bolsonaro e contra o STF.

A medida causou debate sobre o direito de policiais militares participarem dos protestos. Ela está prevista em uma lei complementar ao regimento interno da PM do estado de São Paulo, que trata dos deveres éticos dos policiais: “militares do estado da ativa são proibidas manifestações coletivas sobre atos de superiores, de caráter reivindicatório e de cunho político-partidário, sujeitando-se às manifestações de caráter individual aos preceitos deste Regulamento”.

Para o deputado federal coronel Tadeu (PSL-SP), as penalizações à polícia por parte de João Dória fizeram com que policiais ficassem ainda mais contra ele.

“Nós já temos alguns conflitos com esse governador. E, agora, ele colocou a Polícia Militar ainda mais contra. Ele passa a ser uma pessoa non grata mais dentro dos quartéis da PM”.

Segundo o especialista em segurança pública Rafael Alcadipani, em São Paulo o problema está na insatisfação da PM com o governo Dória.

“Acredito que teria sido muito mais cortês da parte do governador se ele tivesse deixado o Conselho de Segurança Pública ou até o comandante da polícia decidirem o afastamento do coronel”, afirma o especialista.

Mais Recentes da CNN