Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Novo ministro é considerado indicação pessoal de Bolsonaro

    Quem acompanhou a escolha do novo ministro das Comunicações diz que Fábio Faria foi uma "indicação 100% pessoal" de Bolsonaro, sem interferência do PSD

    O ministro das Comunicações Fábio Faria (PSD-RN)
    O ministro das Comunicações Fábio Faria (PSD-RN) Foto: Zeca Ribeiro - 12.nov.2013/ Câmara dos Deputados

    Basília Rodriguesda CNN

    Ouvir notícia

    Apesar da aproximação recente do Planalto com o Centrão, quem acompanhou a escolha do novo ministro das Comunicações diz que Fábio Faria, genro de Silvio Santos, foi uma “indicação 100% pessoal” do presidente Jair Bolsonaro, sem interferência de seu partido, o PSD.

    O anúncio foi feito por Bolsonaro nas redes sociais. Políticos da legenda e familiares de Faria dizem que foram pegos de surpresa. Agora à noite, o deputado recebeu várias ligações de correligionários e parentes mas está na expectativa da posse antes de se manifestar.

    Leia também:
    Bolsonaro recria Ministério das Comunicações e nomeia deputado do PSD
    Nomeação de Faria une ala ideológica, Maia e Centrão; posse será na segunda

    Desde segunda-feira, Bolsonaro e Faria vinham conversando sobre a recriação da pasta. Nesta tarde, os dois estiveram juntos no Planalto. E o presidente decidiu que ele seria o ministro.

    A indicação a um ministério confirma a boa relação do parlamentar com o Planalto. Nos últimos meses, Faria atuou como um bombeiro na constante crise de Bolsonaro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

    O nome do deputado chegou a ser apontado como um possível candidato para a suscessão de Maia, dado o seu bom relacionamento também com outros parlamentares. Faria está em seu quarto mandato como deputado federal pelo estado do Rio Grande do Norte.

    Antes de ser escolhido ministro das Comunicações, Faria integrava a Mesa Diretora da Câmara, no lugar de 3º secretário da Câmara dos Deputados, que é responsável pelo reembolso de passagens aéreas, exame de licenças e faltas dos parlamentares.

    Mais Recentes da CNN