Segurança pública é prioridade para Alckmin em plano de governo de Lula

Ex-governador de São Paulo e vice de Lula defende a recriação do Ministério da Segurança Pública, desmembrado do Ministério da Justiça em 2018, no governo Michel Temer

Iuri Pittada CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Indicado pelo PSB para concorrer à vice-presidência na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, agora com aval do diretório nacional do PT, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin considera a área da segurança pública uma prioridade na lista de contribuições que pode oferecer ao programa de governo da candidatura.

Entre as propostas estão a defesa da recriação do Ministério da Segurança Pública, a retomada de políticas de desarmamento da população e o enfrentamento ao tráfico internacional de armas e drogas.

Alckmin é o político que governou São Paulo por mais tempo na história – de 2001 a 2006, e de 2011 a 2018 – e ocupou o cargo quando foram adotadas políticas que levaram à redução significativa da taxa de homicídios no estado e ao fim das carceragens nas delegacias, por meio da ampliação do sistema carcerário.

Em contrapartida, também ocorreram em suas gestões episódios criticados por entidades de defesa dos direitos humanos e setores da esquerda, como a Operação Castelinho, emboscada que terminou com a morte de 12 suspeitos em 2002, e a reintegração de posse do Pinheirinho, em 2012.

Nesta terça-feira, Alckmin apresentou algumas das ideias que pretende levar ao debate do programa de governo da chapa com Lula. Ele defendeu a recriação do Ministério da Segurança Pública, desmembrado do Ministério da Justiça em 2018, no governo Michel Temer, e reintegrado por Jair Bolsonaro (PL) ao tomar posse, no ano seguinte.

O ex-governador participou de uma live promovida pelo Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE), ao lado do presidente da organização, Walfrido Warde, e do hoje secretário de Segurança de Diadema (SP), Benedito Mariano, que ocupou cargos análogos tanto em gestões do PT quanto do PSDB.

O ex-governador fez uma defesa enfática de políticas de desarmamento, ao enfatizar que as armas de fogo são a terceira principal causa de morte no Brasil.

Alckmin considera fundamental o enfrentamento ao tráfico de armas e de drogas para a redução da criminalidade no país e vê com bons olhos a criação de uma guarda nacional permanente – o governo federal tem hoje uma Força Nacional formada por policiais cedidos pelos estados.

No PT, políticas relacionadas à segurança pública são discutidas pela Fundação Perseu Abramo. Um dos nomes mais diretamente ligados ao assunto é outro ex-governador, o gaúcho Tarso Genro.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN