Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Veja o que os candidatos comentaram sobre a ausência de Lula no debate

    Dos sete candidatos à Presidência convidados para o Debate CNN neste sábado (24), apenas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não compareceu

    Púlpito de Lula (PT) vazio no debate entre candidatos à Presidência
    Púlpito de Lula (PT) vazio no debate entre candidatos à Presidência Reprodução/CNN

    Anna Gabriela Costada CNN

    em São Paulo

    Dos sete candidatos à Presidência convidados para o Debate CNN neste sábado (24), apenas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não compareceu. A ausência do candidato petista foi comentada pelos participantes do debate presidencial que ocorre a oito dias do pleito.

    Candidato à reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou a ausência de Lula no debate da CNN com um pool de veículos formado por SBT, Estadão/Rádio Eldorado, Veja, Terra e NovaBrasilFM.

    “No meu entender, perdeu, grande parte, que é a ausência do presidiário, daquele homem que é responsável pelo maior esquema de corrupção na humanidade, que roubou empregos, roubou sonhos de muita gente, que colocou o Brasil em uma pobreza quase absoluta”, disse Bolsonaro.

    Ciro Gomes (PDT) afirmou, em uma publicação nas redes sociais minutos antes do início do debate, que “Lula não veio para o debate porque não tem como explicar a falta de propostas concretas, as promessas que nunca foram cumpridas e muito menos as denúncias de corrupção”.

    Ciro acrescentou ainda que a ausência do candidato ao debate “é um desrespeito não só com seus oponentes, mas também com todos os brasileiros”.

    A candidata à Presidência pelo União Brasil, Soraya Thronicke, também criticou a ausência do ex-presidente.

    “Importante destacar a ausência do candidato Luiz Inácio Lula da Silva. Uma covardia não vir falar com você, eleitor. Não vir prestar contas do que ele fez, do que não fez e do que irá fazer de diferente, não tem proposta. Também temos a situação do candidato Jair Bolsonaro. Nós precisamos abandonar e deixar para trás, de vez, são 20 anos de corrupção e são 20 anos de má gestão”, afirmou.

    A candidata do MDB à Presidência Simone Tebet afirmou, em evento neste sábado, que entende a sua participação no debate como um dever e uma obrigação e que “quem quer voto tem que se apresentar ao Brasil”.

    Mais cedo, Tebet não citou diretamente o ex-presidente, mas criticou a ausência de candidatos em debates. “Quem declara, quem pede voto útil no primeiro turno e não vai no debate vai contra a democracia e se acovarda. Isso é covardia com o povo brasileiro. Como você pede para o povo brasileiro ‘vote em mim, mate essa eleição no primeiro turno’ e foge do debate? E diz ‘eu não vou participar do debate porque não me interessa me apresentar ao Brasil’, é o que? Nos dá uma carta em branco? Um cheque em branco?”, questionou a emedebista.

    Ao ser entrevistada no final do debate, Tebet acrescentou:  “Lamento a ausência do ex-presidente Lula, que prega o voto útil para acabar no primeiro turno, mas foge de um debate”, finalizou.

    Ausência de Lula é um dos temas mais importantes do primeiro bloco, diz Quaest

    A ausência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi um dos temas mais importantes no primeiro bloco do Debate CNN com os candidatos à Presidência.

    De acordo com o diretor de Inteligência da Quaest, Guilherme Russo, 61% das menções sobre Lula nas redes sociais foram negativas.

    Justificativa sobre a ausência

    Líder nas pesquisas eleitorais, Lula justificou ausência no evento por suposta demora na formação de um pool de veículos para a realização do confronto. O pool de veículos de comunicação formado por SBT, CNN Brasil, Terra, NovaBrasil, Estadão/Eldorado e Veja recebeu com surpresa nesta sexta-feira (23) a declaração dada à imprensa pelo ex-presidente.

    Diferentemente do que foi declarado pelo candidato, a formação do pool deu-se antes mesmo da sugestão feita por sua campanha, com a parceria firmada originalmente entre SBT, VEJA, NovaBrasil e Estadão/Eldorado, ainda em março deste ano.