Brasil tem recorde de novos casos e ultrapassa 900 mil registros de Covid-19

País registrou 1.282 novas mortes relacionadas ao novo coronavírus, o que elevou o total de vítimas fatais da doença para 45.241 pessoas

Guilherme Venaglia, da CNN em São Paulo
16 de junho de 2020 às 18:32 | Atualizado 16 de junho de 2020 às 19:19
Modelo em 3D do novo coronavírus
Foto: Dado Ruvic - 25.mar.2020/Reuters

O Brasil registrou nesta terça-feira (16) a maior confirmação diária de novos casos de Covid-19 desde o início da pandemia no país, com 34.918 registros em 24 horas, de acordo com o boletim diário do Ministério da Saúde. O recorde anterior era de 30 de maio, quando foram confirmados 33.274 casos.

Com isso, o Brasil ultrapassa a marca de 900 mil casos da doença -- são 923.189 casos. Durante o mesmo período, o país registrou 1.282 novas mortes relacionadas ao novo coronavírus, o que elevou o total de vítimas fatais da doença para 45.241 pessoas.

As mortes registradas diariamente se referem àquelas que foram confirmadas durante o período que compreende o boletim, que vai das 16h do dia anterior até as 16h do dia da divulgação, independentemente da data em que tenham ocorrido. Segundo o Ministério da Saúde, das 1.282 mortes confirmadas hoje, 472 ocorreram nos últimos três dias.

O ministério estima que 47,8% dos que se infectaram pela Covid-19 tenham se recuperado, o que representa 441.729 pessoas. Outros 436.219 casos estão em acompanhamento, informa a pasta.

Os números divulgados pelo governo federal conferem com aqueles disponibilizados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que desde a semana passada faz uma divulgação paralela do panorama da pandemia.

Números da pandemia

Para efeito de comparação, se os infectados brasileiros fossem uma cidade, teriam população maior do que o município de Natal, capital do Rio Grande do Norte. Os 190.285 casos confirmados em São Paulo, estado com o maior número de casos no país, são mais do que a população de Francisco Morato, município da região metropolitana da capital paulista.

Já os 45.241 mortos representam mais do que a população de algumas cidades brasileiras, entre elas Paraty (RJ), sendo também número maior do que a capacidade do Allianz Parque, estádio do Palmeiras em São Paulo.

Segundo os números da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o segundo país com mais casos e mais mortes por Covid-19 no mundo. Em ambos os quesitos, o primeiro posto é ocupado pelos Estados Unidos, que tem 2,1 milhões de casos da doença e 116.726 mortes.

De acordo com a Johns Hopkins, no mundo todo, são mais de 8 milhões de casos e 438,8 mil mortes.

Assista e leia também:

Robô é utilizado para desinfetar trens e metrô em São Paulo

Estudo projeta 200 mil mortes pelo novo coronavírus até outubro nos EUA

Importação de salmão pode ter gerado novo surto de Covid-19 em Pequim

Distribuição regional

A pandemia não afeta todos os estados da mesma maneira. São Paulo, com o maior número de casos, tem 11.132 mortes. Ainda em números totais, o Rio de Janeiro registra 83.343 casos e 7.967 mortes, o Ceará registra 81.289 casos e 5.070 mortes, o Pará registra 71.243 casos e 4.291 mortes e o Maranhão registra 62.711 casos e 1.537 mortes.

De acordo com os números por proporção, em que se considera a quantidade de casos e de mortes por quantidade de habitantes, a região Norte passou da marca de 1.000 casos a cada 100 mil pessoas. As mortes na região são 44,2 na mesma proporção.

A média nacional é de 439 casos e 21,5 mortes por 100 mil. Estão abaixo da média nos dois quesitos o Centro-Oeste (287,3 casos e 5,3 mortes/100 mil) e o Sul (138,2 casos e 3,2 mortes/100 mil). Sudeste está abaixo na proporção de casos (367,3/100 mil), mas não na de mortes (23,5/100 mil).

Boletim Coronavírus - 16/06
Foto: Ministério da Saúde