Veja quais são as fases de distribuição da vacina de acordo com plano do governo

A distribuição da vacina contra a Covid-19 está prevista em três fases, junto à vacinação contra a influenza, e deve durar quatro meses

Da CNN, em São Paulo
12 de dezembro de 2020 às 16:41 | Atualizado 12 de dezembro de 2020 às 19:58
Capa do Plano nacional de imunização
Foto: Reprodução


De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 entregue pelo governo ao Supremo Tribunal Federal, a distribuição da vacina contra a Covid-19 está prevista em três fases, misturada à vacinação contra a influenza, e deve durar quatro meses. 

"A distribuição cronológica no decorrer dos meses, inicialmente organizada, alterna semanalmente as vacinas de rotina e as vacinas destinadas aos grupos prioritários específicos das campanhas da vacina covid-19 e influenza, e observa os cronogramas previstos já apresentados pela AstraZeneca", diz o documento.

No primeiro mês da distribuição, ocorrerá a amostragem dos lotes e início da distribuição da vacina.

Primeiro mês do PNI (Plano Nacional de Imunização)
Foto: Reprodução


 

No segundo mês, começa a distribuição para o grupo prioritário.

Segundo mês do PNI (Plano Nacional de Imunização)
Foto: Reprodução


 

No terceiro mês, são contemplados os 40% do grupo prioritário.

Terceiro mês do PNI (Plano Nacional de Imunização)
Foto: Reprodução


 

Por fim, no quarto mês, a população com comorbidades será contemplada.

Quarto mês do PNI (Plano Nacional de Imunização)
Foto: Reprodução


 

Essa logística aplica-se, segundo o Ministério da Saúde, à vacina da Pfizer/Biontech.

"Considerada a introdução da vacina Pfizer, encontra-se em andamento o planejamento da estratégia para utilização desta vacina, tendo em vista o quantitativo de 2 milhões de doses previstas para o primeiro trimestre de 2021, até que o mercado tenha", afirma o documento.

"Essa vacina, incorpora desafios logísticos ao propor tecnologias diferenciadas aos programas de imunizações do mundo. A plataforma requer condições de armazenamento e transporte à ultrabaixa temperatura (-70°C), enquanto os requisitos de temperatura predominantemente exigidos para as atuais vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) aos programas do mundo variam na faixa de +2°C à +8°C."

O plano não traz, no entanto, a data de início da vacinação no Brasil. De acordo com o documento, para “a incorporação da nova vacina no Calendário Nacional de Vacinação faz-se necessária a aprovação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”. 

Saiba mais sobre o plano nacional de imunização:

Por que o governo entregou ao STF o plano nacional de imunização?

Governo gasta R$ 4,4 bilhões para encomendar 142 milhões de vacinas

Coronavac está entre vacinas "candidatas" em plano de imunização do governo

Plano de imunização do governo prevê 3 centros de distribuição; veja quais

No momento inicial, objetivo da vacina é reduzir a mortalidade, aponta plano

Grupos prioritários para vacina somam 108 milhões de pessoas; veja quem são

Governo ainda estuda como viabilizar vacinas que precisam de ultra refrigeração

Plano de imunização: governo não descarta vacinar idosos em casa

(Publicado por Marina Motomura)