Índia começará a exportar vacina contra Covid-19 ‘para vizinhos’ nesta quarta

Primeiro lote será enviado Butão; Brasil fez pedido de 2 milhões de doses do imunizante de Oxford produzido pelos indianos, mas ainda aguarda liberação

Sanjeev Miglani, da Reuters
19 de janeiro de 2021 às 09:39 | Atualizado 19 de janeiro de 2021 às 18:19

 

A Índia, uma das maiores produtoras de produtos farmacêuticos do mundo, começará a exportar vacinas contra Covid-19 já nesta quarta-feira (20), disseram fontes do governo, abrindo caminho para muitos países de renda média e baixa garantirem suprimentos da vacina Oxford/AstraZeneca, que é de fácil armazenamento.

O primeiro lote de exportações será enviado para a pequena nação do Butão, disseram as autoridades, que pediram para não ser identificadas já que os planos ainda não são públicos. Dois milhões de doses da vacina, desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford e fabricada pelo Serum Institute da India (SII), também serão despachadas para Bangladesh na quinta-feira (21), disseram autoridades informadas sobre os planos.

A Índia recebeu pedidos de dezenas de nações, incluindo apelos urgentes do Brasil, para iniciar as exportações da vacina do centro SII na cidade de Pune, no oeste do país. A Fiocruz solicitou dois milhões de doses da Índia, mas ainda aguarda um retorno com a data de envio.

A SII, maior fabricante mundial de vacinas, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre as exportações.

O SII disse na semana passada que esperava em breve autorização de uso emergencial da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a vacina Oxford/AstraZeneca, que foi licenciada para dezenas de países de baixa e média renda.

Isso abriria caminho para que a SII começasse a fornecer para a iniciativa Covax, apoiada pela OMS, que visa distribuir de forma justa as doses de Covid-19 em todo o mundo.

A vacina Oxford/AstraZeneca, que pode ser armazenada em temperatura de geladeira, é amplamente vista como uma opção mais viável para muitas nações mais pobres do que as vacinas da Pfizer e Moderna, que têm requisitos de armazenamento refrigerado mais onerosos.

O governo do primeiro-ministro Narendra Modi, no entanto, queria lançar a campanha de vacinação em seu próprio território antes de lançar as exportações, disse uma das fontes, o que ocorreu no último sábado.

A Índia começou a administrar doses da vacina Oxford/AstraZeneca, bem como outra desenvolvida pela Bharat Biotech, para profissionais de saúde. O país planeja começar a exportar a vacina da Bharat Biotech em um estágio posterior.

Uma outra fonte disse que o Butão receberá suas doses da Oxford/AstraZeneca gratuitamente.

"Começaremos a partir de amanhã (quarta), outros países vizinhos seguirão em breve", disse a fonte.

Sri Lanka, Nepal, Mianmar e Maldivas solicitaram a entrega antecipada de vacinas.