Anac informa Saúde que gripe e Covid em tripulantes provocam cancelamentos de voos

Segundo a assessoria da Azul, 10% dos voos foram prejudicados, o que resultou em cancelamentos nesta semana e na próxima

Basília Rodriguesda CNN

Brasília

Ouvir notícia

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou ao Ministério da Saúde que houve cancelamento de voos no país devido ao diagnóstico de Covid-19 ou gripe em tripulantes.

A CNN apurou que, na terça-feira (4), a agência entrou em contato com a cúpula do ministério para comunicar a situação. A preocupação teve início após a Azul, uma das principais operadoras de voos no país, ter problemas com alta na dispensa médica de funcionários com sintomas gripais ou que testaram positivo. Isso teve impacto na escala de trabalho. Procurada pela CNN, a assessoria da empresa informou que 10% dos voos foram prejudicados, o que resultou em cancelamentos nesta semana e na próxima.

O número de casos, que ainda não foi divulgado, fez com que outras companhias decidissem reforçar as medidas de proteção contra as novas variantes das doenças.

De acordo com fontes do setor aéreo, ouvidas pela CNN, as empresas acompanham e monitoram a situação com atenção para evitar alarde equivocado e que os passageiros deixem de fazer viagens com receio de contaminação, como ocorreu no início da pandemia. O setor reafirma que atualmente toda tripulação está vacinada e a qualquer sintoma os tripulantes são afastados.

Azul

A Azul encaminhou um comunicado interno a seus funcionários, nesta semana, em que aponta para o desafio que a situação impõe aos serviços. “Nos últimos dias, começamos a ser afetados por um alto número de dispensas médicas, tanto no grupo de voo quanto em nossos times de solo, Azulcenter [central de atendimento da empresa] e demais áreas administrativas. Por conta disso, os próximos dias serão mais desafiadores para nossa operação como um todo e já começamos a realizar alguns ajustes para enfrentar essa situação”, afirma a Azul, no comunicado.

Em nota encaminhada à CNN, a companhia explica que os voos de janeiro estão sendo reprogramados. “A Azul informa que por razões operacionais alguns de seus voos do mês de janeiro estão sendo reprogramados. A companhia registrou um aumento no número de dispensas médicas entre seus Tripulantes – casos esses que, em sua totalidade, apresentaram um quadro com sintomas leves – e tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e covid-19 no Brasil e no mundo. É importante ressaltar que mais de 90% das operações da companhia estão funcionando normalmente e que os Clientes impactados estão sendo notificados das alterações, reacomodados em outros voos da própria companhia e recebendo toda a assistência necessária conforme prevê a resolução 400 da Anac.”

Em nota, a Abear informou que segue os protocolos de segurança sanitária.

“A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) informa que:

1. Suas associadas, sempre seguindo os mais rígidos protocolos de segurança sanitária determinados pela ANVISA e em linha com os melhores padrões internacionais, não tiveram ainda necessidade de remanejamentos de malha expressivos por contágio gerado pela variante ômicron da COVID-19.
2. A situação está em monitoramento constante, pelo crescimento dos efeitos desta variante na população brasileira, nos últimos dias, mesmo no caso de pessoas com o ciclo vacinal completo. Essa é a situação de tripulantes e funcionários de terra das empresas associadas, com praticamente 100% de seu efetivo já vacinado, conforme compromisso público das companhias integrantes da ABEAR.
3. A fim de sempre informar a todos em caso de qualquer alteração na malha aérea, reiteramos a importância de que nossos passageiros se mantenham informados sobre a situação de seus voos nos sites da companhia de sua escolha.”

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou, por meio de nota, que está monitorando os casos de doenças respiratórias causadas em pilotos, comissários e demais profissionais do setor aéreo.

“Com o objetivo de antecipar possíveis impactos na aviação e auxiliar no plano de ação das empresas aéreas, a Agência já havia entrado em contato com representantes das companhias aéreas, aeroportos, concessionárias, Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo (ESATAs) e órgãos de controle sanitário e de saúde”, diz o texto.

A agência diz ainda que monitora as “medidas operacionais que vêm sendo adotadas pelas companhias aéreas para minimizar os impactos causados pelos atrasos e cancelamentos de voos, bem como o cumprimento da prestação de assistência aos passageiros, determinadas pela Resolução ANAC 400/2016”.

Os passageiros que tiverem o voo atrasado ou cancelado, de acordo com a agência, “terão direito à prestação de assistência pelas companhias aéreas”.

A CNN procurou outras companhias do setor. A Gol afirmou que houve aumento dos casos positivos, no entanto, de acordo com a companhia, nenhum voo foi cancelado ou sofreu alteração significativa. “Os funcionários que apresentam resultado positivo estão sendo afastados das funções para se recuperarem em casa com segurança”, disse, em nota.

Já a Latam não respondeu se registrou casos. Mas informou que, “por enquanto, ainda não foi necessário alterar seus voos diante do aumento no número de casos de Covid e de Influenza na população brasileira”.

Mais Recentes da CNN