Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Asilo de primeira vítima da Ômicron registrada no Brasil tinha mais 51 infectados

    Prefeitura de Aparecida de Goiânia (GO) diz que instituição de longa permanência onde morava homem que morreu teve surto de contaminações pela nova variante

    Segundo estudos, variante Ômicron do coronavírus possui alta taxa de transmissão
    Segundo estudos, variante Ômicron do coronavírus possui alta taxa de transmissão CDC/Pexels

    Fábio MunhozMarina Demorida CNN

    A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (GO) informa que o primeiro paciente morto após ser contaminado pela variante Ômicron do coronavírus residia em um asilo. O idoso tinha 68 anos e teve a morte confirmada na última quinta-feira (6).

    Segundo a prefeitura local, o homem era hipertenso e portador de “doença pulmonar obstrutiva crônica”. De acordo com a analista de política da CNN Basilia Rodrigues, o óbito foi confirmado somente cinco dias depois de o caso ter sido notificado às autoridades de Saúde.

    A pasta informa que, em dezembro do ano passado, foi procurada pela direção de uma instituição de longa permanência no município, que relatou a existência de uma grande quantidade de internos com sintomas respiratórios.

    A secretaria diz que, após esse contato, realizou um procedimento de testagem em massa no asilo. “Ao todo, 52 pessoas foram diagnosticadas com Covid-19 e cinco amostras foram sequenciadas. Todas elas confirmaram contaminação pela Ômicron. Dois moradores precisaram de internação e um deles foi à óbito. Todos os outros 50 casos já receberam alta”, informa nota enviada pela pasta.

    Ainda de acordo com a secretaria, todas as 52 pessoas contaminadas estavam com as três doses da vacina contra a Covid-19 e só duas foram internadas, o que mostra a eficácia do imunizante na proteção contra a variante Ômicron.