Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ataque a faca, Covid e cirurgias: a saúde de Bolsonaro desde as eleições

    Na madrugada desta quarta (14), presidente sentiu dores abdominais, foi encaminhado ao Hospital das Forças Armadas (HFA) e depois transferido para São Paulo

    Presidente Jair Bolsonaro foi internado nesta quarta-feira (14) em Brasília
    Presidente Jair Bolsonaro foi internado nesta quarta-feira (14) em Brasília Foto: Mateus Bononi/Getty Images

    Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

    Desde que sofreu o atentado a faca durante a campanha eleitoral de 2018, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem sido submetido a cirurgias, exames e consultas médicas rotineiras para o acompanhamento de seu quadro de saúde. Nesse período, ele já passou por quatro procedimentos em decorrência da facada.

    O problema mais recente na saúde do presidente é uma obstrução intestinal. Na madrugada desta quarta-feira (14), o presidente deu entrada no Hospital das Forças Armadas alegando dores abdominais. Segundo nota da secretaria especial de Comunicação Social da Presidência da República, o presidente será transferido para São Paulo, onde a necessidade de uma cirurgia será analisada pela equipe médica responsável.

    Antes da hospitalização, o presidente sofria com uma crise de soluços. Segundo ele, o constante soluçar na última semana estava atrapalhando o seu cotidiano. Em conversa com apoiadores, Bolsonaro afirmou que, se falasse muito, a crise de soluços voltava. 

    Histórico de cirurgias

    Atingido no abdômen pela facada, Bolsonaro foi atendido com urgência à época e passou pela primeira cirurgia no dia 6 setembro de 2018, na Santa Casa de Juiz de Fora, em Minas Gerais. 

    Já em São Paulo, o presidente foi submetido a um procedimento para desobstrução intestinal e, na sequência, precisou passar por uma nova intervenção para a implementação de uma bolsa de colostomia, que foi necessária até janeiro de 2019.

    O ataque a faca causou uma cicatriz em parte da região abdominal do presidente, que ele não hesitava em mostrar em fotos e até em programas de TV. 

    Em setembro de 2019, ele passou por outra cirurgia, desta vez para a retirada de uma “hérnia incisional, que surgiu em decorrência das intervenções cirúrgicas previamente realizadas”, disse, à época, a nota do médico Rircardo Peixoto Camarinha, que acompanha a saúde de Bolsonaro. 

    Em janeiro de 2020, Bolsonaro fez um procedimento de vasectomia. Já em setembro do mesmo ano, o presidente foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein, onde passou por uma cirurgia para a retirada de um cálculo na bexiga — procedimento que foi realizado sem intercorrências e teve duração de 1h30.

    À época, o presidente relatou que o cálculo existia há cinco anos, era “maior que um grão de feijão” e estava ferindo internamente a bexiga.

    Segundo informações do analista de política da CNN Gustavo Uribe, atualmente, a equipe médica de Bolsonaro também avalia a possibilidade da retirada de uma hérnia na região abdominal. Esta seria a quinta intervenção cirúrgica no abdômen. 

    Implante dentário

    Sem relação com a facada, Bolsonaro disse em entrevista à rádio Guaíba que havia passado por procedimento de implante dentário no último sábado (3). Segundo ele, os remédios usados no pós-operatório podem ter causado os soluços. 

    Covid-19

    O presidente testou positivo para Covid-19 em julho de 2020. Ele chegou a afirmar, à época, que devido ao seu “histórico de atleta” não desenvolveria sintomas graves da doença. 

    Na ocasião, ele chegou a ir a um hospital de Brasília para realizar exame para detecção do vírus, mas não foi internado e se recuperou no Palácio do Planalto.

    O que pode provocar uma crise de soluço

    As contrações no diafragma, que provocam os soluços, podem ser provocadas por diversos fatores. A crise de soluços do presidente foi tema do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, nesta quarta-feira (14)

    Segundo o neurocirurgião Fernando Gomes, os soluços podem ser causados por refeições pesadas, bebidas quentes e excesso de bebidas alcoólicas. “Pessoas com gastrite ou refluxo gastroesofágico também têm esse reflexo estimulado, às vezes, de maneira persistente”, destacou.

    “Estresse psicológico e até mesmo um susto ou emoção muito forte provoca o soluço e, da mesma maneira, consegue interferir tirando o indivíduo desse padrão”, afirmou o médico. 

    “A dica básica é prestar atenção na própria respiração, porque o soluço entra dentro do nosso reflexo mais básico, que é a inspiração e expiração. Muitas vezes ficar tranquilo, fechar os olhos e prestar atenção voluntária na respiração pode ajudar”, disse o médico.