Bolsonaro indica tenente-coronel Jorge Kormann para vaga na diretoria da Anvisa

Em despacho no Diário Oficial, Bolsonaro encaminha ao Senado a indicação de Jorge Luiz Kormann para vaga que será aberta na diretoria da Anvisa em dezembro

Por Diego Freire,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia


 

Em despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) encaminhou ao Senado a indicação do tenente-coronel Jorge Luiz Kormann para assumir vaga na diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Caso seja aprovado pelos senadores, Kormann assume a vaga decorrente do término do mandato da farmacêutica Alessandra Bastos Soares em 19 de dezembro de 2020.

Leia também:
‘Barra Torres não é um irresponsável’, diz Mourão sobre decisões da Anvisa

Parlamentares querem ouvir diretores da Anvisa, Butantan e Aneel 

Conexão CNN: Após declaração de Bolsonaro, redes sociais se voltam contra Anvisa

Tenente-cornoel, Kormann foi nomeado ao Ministério da Saúde em maio, ainda no mandato de Nelson Teich à frente da pasta, para o posto de diretor de programa. Em junho, passou a atuar como secretário-executivo adjunto.

No final de outubro, Bolsonaro havia indicado Roberto Ferreira Dias, diretor do Departamento de Logística em Saúde da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, para a vaga que será aberta com a saída de Alessandra Bastos da diretoria colegiada da Anvisa, mas posteriormente a indicação foi cancelada.

 

Indicações recentes à Anvisa

Em outubro, o Senado aprovou quatro outras indicações de Bolsonaro para a agência, incluindo a confirmação do contra-almirante da Marinha com especialização na área médica Antônio Barra Torres como diretor-presidente do órgão, após exercer o cargo interinamente desde o início do ano. 

Torres foi aprovado com 34 votos favoráveis e 7 contrários no Senado. Para ocupar a sua vaga no corpo de diretores, foi indicada a médica Cristiane Rose Jourdan Gomes.

Também foram confirmados, como diretores, o advogado Alex Machado Campos e a farmacêutica Meiruze Sousa Freitas.

(Com informações da Agência Senado)

 

Mais Recentes da CNN