Ciclo vacinal anual contra Covid é essencial para planejamento, diz secretário

À CNN, Jean Gorinchteyn reforçou que decisão ainda depende de estudos sobre intervalos e intercambialidade de doses

Vacina da Janssen
Vacina da Janssen Foto: Paul Hennessy/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Amanda Garcia e Bel Campos, da CNN Rádio

Ouvir notícia

 O estado de São Paulo anunciou na segunda-feira (19) que um novo ciclo de vacinação contra a Covid-19 no ano que vem. Segundo o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, a decisão faz parte do planejamento de combate contra a doença.

“Esperamos que o próprio Ministério da Saúde entenda que não podemos aguardar, Canadá, Israel, países da Europa estão fazendo, a recondução vai acontecer principalmente para o público mais vulnerável”, afirmou em entrevista à CNN.

Gorinchteyn diz que é necessária uma maior “previsibilidade”: “Não podemos cair nos riscos que o governo federal caiu, temos que nos antecipar, é um planejamento para sermos mais ágeis, apesar de tudo, ainda conhecemos muito pouco sobre a doença.”

O secretário ainda reforçou que o avanço nos testes da Butanvac, aliado à produção nacional da Coronavac, garantirá doses suficientes para o ano que vem.

Em fase 3 de testes, a vacina Butanvac, produzida pelo Instituto Butantan, também avaliará a eficácia da intercambialidade com voluntários que receberam todos os imunizantes aplicados no Brasil – Coronavac, Pfizer, AstraZeneca e Janssen.

“Esses resultados serão avaliados e chancelados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e teremos doses suficientes [para a vacinação em 2022], estamos desenhando as estratégias”, contou.

Jean Gorinchteyn também avalia que a vacinação do ano que vem seguirá os protocolos de prioridades previstas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), dando preferência a idosos, pessoas com comorbidades e assim por diante.

Mais Recentes da CNN