CNN Sinais Vitais aborda os avanços da medicina fetal

Programa apresenta evolução das cirurgias que salvam vidas e mudam o prognóstico de pacientes ainda durante a gestação

Lucas RochaMichelle Trombellida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Nesta semana, o CNN Sinais Vitais aborda os avanços da medicina fetal, mostrando cirurgias que salvam vidas e mudam o prognóstico de pacientes dentro do útero. Ainda na gravidez, é possível detectar, tratar e até curar doenças.

O programa, apresentado pelo cardiologista Roberto Kalil, vai ao ar nesta quarta-feira (1º), às 22h30, logo após o Jornal da CNN, na faixa nobre da CNN Brasil.

De volta ao hospital onde nasceu, na região central de São Paulo, Roberto Kalil conversa com um dos maiores especialistas no tema, Fábio Peralta, da Pro Matre e do Hospital do Coração (HCor).

“Nós tratamos desde problemas do sistema nervoso central ao coração, do tórax aos rins e vias urinárias. Tudo isso dentro da barriga. As cirurgias podem ser a céu aberto ou com o uso de endoscopia, que é a maior parte. Tudo depende da doença e das condições do bebê”, explica Peralta (veja entrevista no vídeo acima).

Ao longo de cinco meses, a equipe do programa acompanhou duas cirurgias fetais e o parto de uma criança que foi operada dentro do útero para a correção de uma condição chamada mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida.

O defeito na coluna do bebê afeta o sistema nervoso central, pode gerar hidrocefalia (acúmulo de líquido no cérebro) e aumentar em mais de 80% as chances de paralisia. Uma das formas de se evitar esse problema é com a suplementação de ácido fólico pelas mulheres pelo menos três meses antes de engravidar, sempre com acompanhamento médico.

O episódio também relembra a primeira cirurgia fetal bem-sucedida no Brasil para a correção da Síndrome de Transfusão Feto Fetal, uma das situações mais graves na gestação de gêmeos que dividem a mesma placenta. Quando um dos bebês começa a receber mais sangue do que o outro, há 95% de chance de perda gestacional ou danos neurológicos para a criança.

A especialista em medicina fetal Denise Lapa, do Hospital Israelita Albert Einstein, foi quem conduziu a primeira cirurgia do tipo no Brasil em 1997, mas apenas um bebê sobreviveu. Seis anos depois, em 2003, ela conseguiu salvar os dois bebês, sem qualquer sequela.

A reportagem da CNN também conversou com a família do Henrique e do Gabriel Gibertoni, que hoje estão com 17 anos. “O feto é um paciente maravilhoso porque ele tem uma capacidade de auto-reparação incrível. À medida que a gente vai vencendo no conhecimento e tratando novas doenças a gente vê as coisas maravilhosas que eles conseguem fazer”, destaca Denise.

Atualmente, os problemas de saúde mais frequentes nos fetos que permitem uma intervenção dentro do útero são: mielomeningocele, transfusão feto fetal, hérnia diafragmática congênita, obstruções da bexiga e cardiopatias congênitas.

No Hospital do Coração (HCor), o programa apresenta os cuidados para a saúde do coração dos fetos durante a gestação.

O CNN Sinais Vitais pode ser visto em horários alternativos aos sábados, às 13h15 e às 03h05, e aos domingos às 20h15 e às 05h15.

Mais Recentes da CNN