Comitê de SP: Poucos dados sobre queda dos anticorpos estimulam dose de reforço

Coordenador do Comitê Científico de São Paulo diz que falta de conhecimento sobre a velocidade da redução dos anticorpos estimula a antecipação do reforço

Raphael Coraccinida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

A antecipação da dose de reforço em São Paulo foi motivada, entre outros fatores, pela ausência de conhecimento do Comitê Científico sobre a resistência dos anticorpos criados pelas vacinas que combatem a Covid-19.

“Não sabemos a partir de quando o nível de anticorpos começa cair para toda as vacinas”, disse Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico de São Paulo à CNN nesta quinta-feira (2).

Ele ressalta que, apesar de os dados não mostrarem um aumento dos casos graves ao longo deste ano, com o passar do tempo, a aplicação de uma terceira dose pode ajudar a evitar a possibilidade do retorno desses quadros.

“Sabemos que a dose de reforço aumenta de forma importante o nível de anticorpos circulante”, completou.

A aplicação de doses extras também foi antecipada porque a ampla cobertura vacinal em todo o estado permitiu que isso fosse feito. Direcionar doses para o fortalecimento dos anticorpos não cria uma situação de tirar vacinas de não vacinados, afirma Menezes.

“Nós temos aqui uma população com uma cobertura vacinal muito boa, temos condição de ampliar a dose de reforço”, garantiu.

Mais Recentes da CNN