Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Como você e seus filhos podem evitar a Covid-19 em playgrounds

    Locais ao ar livre são considerados de baixo risco, mas exigem alguns cuidados. Confira as dicas dos especialistas

    Pais devem lavar ou limpar as mãos das crianças antes e depois de elas brincarem
    Pais devem lavar ou limpar as mãos das crianças antes e depois de elas brincarem Foto: Getty Images

    Kristen Rogers, da CNN

    Pracinhas e playgrounds parecem – e em muitos casos são – atividades pandêmicas relativamente seguras, mas há fatores que podem trazer complicações. São “ótimas oportunidade de reunir famílias, estar ao ar livre e aproveitar, mas é preciso fazer isto em segurança”, disse Ada Stewart, que é médica de família da Cooperative Health, em Columbia, nos EUA, e presidente da Academia Americana de Médicos da Família.

    Precauções de segurança também são importantes, porque as vacinas contra a Covid-19 atualmente não são autorizadas para menores de 18 anos. A proporção de crianças infectadas com o coronavírus é muito inferior à de adultos, mas elas também correm o risco de se contaminar ao respirar gotículas da tosse ou do espirro de pessoas doentes, ou a partir de um acumulado do vírus que esteja flutuando pelo ar. 

    “Evite playgrounds internos por enquanto. Playgrounds externos são realmente muito seguros”, aconselha a analista médica da CNN, Leana Wen, que atua como professora visitante do curso de Política e Gestão em Saúde da Escola de Saúde Pública do Milken Institute, da Universidade George Washington.

    “Eu tenho um filho de três anos e meio, e meu marido e eu frequentemente levamos ele e sua irmã de um ano de idade a playgrounds. Nos sentimos muito confortáveis fazendo isto”, afirma Wen. “No entanto, se um grande grupo de crianças quiser usar o mesmo brinquedo em que meus filhos estão e eles não estiverem usando máscaras, eu os tiraria de lá.”

    Se você está pensando em levar seus filhos para um playground, confira com o que você deve se preocupar:

    Antes de ir 

    A necessidade de eventualmente seus filhos terem que sair de um ambiente inseguro é um cenário para o qual você precisa prepará-los com antecedência. “Especialmente para crianças pequenas, que podem não ficar felizes com a mudança de planos”, explicou Wen.

    Baseie esta conversa no que eles conseguem entender de acordo com a idade deles. “Crianças entendem muito”, acrescentou Wen. “Eles ouvem os amigos e as pessoas à sua volta”. 

    Diga a eles que se o parque estiver cheio, vocês terão de procurar um lugar mais vazio ou ir para casa. Explique que eles precisam usar as suas próprias máscaras – se tiverem mais de dois anos de idade – e que eles não podem compartilhar comida ou brinquedos com outras pessoas.

    As crianças têm se adaptado rapidamente a usar máscaras durante a pandemia, segundo Wen. Mas, se os seus filhos não se acostumaram, teste o uso de máscaras por períodos prolongados antes de ir ao parque. 

    Além disso, diga a eles que terão de tossir ou espirrar na parte interna do cotovelo. Leve máscaras a mais, caso isto ocorra, já que máscaras úmidas podem se tornar menos efetivas e dificultar a respiração, de acordo com o CDC. Crianças também podem perder suas máscaras.

    Manter o distanciamento físico de pelo menos um metro e meio de outras crianças, não compartilhar objetos, e evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca pode ser difícil para crianças. Porém, avise seus filhos que é isto que eles precisam fazer para ninguém ficar doente.

    Outro aspecto para se considerar é que crianças normalmente não são tão higiênicas quanto adultos. “Mesmo que haja um risco muito, muito, muito baixo de transmissão por contato com superfícies contaminadas, crianças – especialmente as mais novas – podem colocar muito suas mãos na boca”, observou Wen. “E isto não diz respeito só ao coronavírus: outros patógenos podem ser transmitidos a partir do contato com superfícies.”

    A infecção a partir do contato com superfícies contaminadas é possível, mas o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, sigla em inglês) aponta que esta não é a forma de transmissão mais comum.

    Se possível, ligue para o playground ou cheque o site do local, para saber se os equipamentos estão sendo limpos regularmente e se os banheiros estão abertos.

    No playground

    Leve seus próprios brinquedos, bolas, álcool-gel, lenços umedecidos, máscaras extras e comida bebida, se necessário. Lave ou limpe as mãos das crianças antes e depois de elas brincarem no balanço ou em outro equipamento.

    A frequência de sanitização das mãos durante o tempo da brincadeira “depende da criança, da sua idade, e de seu padrão de comportamento”, disse Krystal Pollitt, professor assistente de epidemiologia na Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale e professor assistente de engenharia química e ambiental na Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas de Yale.

    “No playground, não sabemos com que frequência aquelas superfícies são limpas”, destacou Regina Davis Mosso, diretora executiva associada de políticas públicas de saúde da American Public Health Association. Use os lenços para limpar balanços, brinquedos, mesas e qualquer outro objeto cujas superfícies sejam frequentemente tocadas e depois de as crianças usá-las.

    Se as crianças precisarem comer ou beber, assegure-se de que elas façam isto ao ar livre, e a pelo menos um metro e meio de distância de pessoas que não pertençam à unidade familiar delas.

    “É sempre importante ficar de olho nas crianças enquanto elas estão no playground, especialmente agora”, disse Wen. “Se seu filho está em volta de muitas outras crianças, em uma distância pequena, ele ou ela devem ficar de máscara.” Se você quiser que seus filhos brinquem com os amigos, este grupo deve ser limitado a uma ou duas outras famílias, como Wen faz com seus filhos.

    Nota do editor: Há poucas atividades sem risco durante a pandemia da Covid-19, mas sempre há maneiras de mitigá-los. Pessoas totalmente vacinadas têm, claro, muito menos perigo de se contaminar e disseminar coronavírus do que pessoas que não foram imunizadas. A analista médica da CNN, Leana Wen, orienta fazer suas escolhas com isto em mente.

    (Texto traduzido. Leia o original, em inglês